Índia prende primeiros cristãos sob nova lei ‘anticonversão’

Um missionário coreano, um cristão local e outros cidadãos estavam distribuindo comida aos necessitados, quando foram presos.

fonte: Guiame, com informações da Morning Star News

Atualizado: Quarta-feira, 6 Janeiro de 2021 as 9:56

Cada vez mais estados da Índia estão promulgando uma nova lei que proíbe a evangelização e o trabalho missionário. (Foto: India Times)
Cada vez mais estados da Índia estão promulgando uma nova lei que proíbe a evangelização e o trabalho missionário. (Foto: India Times)

Na Índia, os primeiros cristãos foram presos sob a mais nova lei anti-conversão do país. No dia 19 de dezembro, um cristão coreano e três cidadãos indianos foram presos na grande Nodia, localizada no sob acusação de violar a recém-promulgada Lei de Proibição de Conversão Religiosa Ilegal.

A prisão ocorreu na Grande Nodia, localizada no distrito de Gautam Buddh Nagar, estado de Uttar Pradesh, que em novembro se tornou o estado mais recente a promulgar uma polêmica lei anticonversão. Os indivíduos foram presos durante a distribuição de alimentos e outros tipos de ajuda aos necessitados devido ao bloqueio da COVID-19.

“Temos provas de nossa distribuição e nomes e números de telefone de nossos beneficiários, que podem testemunhar que não pedimos a qualquer um deles para mudar de fé ou religião”, disse Raj Kumar Masih, um organizador que supervisiona a distribuição de ajuda, à agência Morning Star News. “Todos os beneficiários receberam kits com alimentos, mas nenhum recebeu qualquer promessa de dinheiro”.

De acordo com a denúncia da polícia, uma mulher local diz que foi abordada pelos indivíduos presos e foi convidada a visitar a igreja local para receber alimentos gratuitos, oferecidos durante a pandemia. Ela continuou relatando que os quatro cristãos começaram a visitá-la regularmente e prometeram dinheiro se ela se convertesse.

Com base nessa falsa denúncia, a polícia local prendeu o coreano Mi Kyung Lee, o cidadão local Umesh Kumar, e duas mulheres que ajudavam na distribuição de ajuda, chamadas Seema e Sandhya. De acordo com a Morning Star News, Kumar e Sandhya não são cristãos.

Após as prisões, os quatro detidos compareceram ao tribunal em 20 de dezembro e foram presos. A polícia acusou os quatro de violar a nova lei anticonversão e antiblasfêmia de Uttar Pradesh, ultrajando os sentimentos religiosos de qualquer classe, insultando sua religião ou crenças religiosas.

Em entrevista ao Morning Star News, Masih afirma que a falsa acusação e as prisões são parte de uma conspiração bem planejada de nacionalistas hindus locais.

“Ninguém se deu ao trabalho de perguntar aos presos a versão deles da história”, disse Masih à Morning Star News. “O que é chocante é que o motorista, Umesh Kumar e Sandhya nem mesmo são cristãos. A mídia local tem relatado falsamente que todos são cristãos”.

Em estados onde leis anticonversão semelhantes são atualmente promulgadas, incluindo Odisha, Madhya Pradesh, Arunachal Pradesh, Chhattisgarh, Gujarat, Jharkhand, Himachal Pradesh e Uttrakhand, cristãos sofrem amplamente com o abuso de autoridade.

Nacionalistas radicais abusam dessas leis, acusando falsamente os cristãos de converter forçosamente indivíduos ao cristianismo para justificar o assédio e agressão. A polícia local muitas vezes ignora a violência perpetrada contra cristãos, devido à falsa acusação de conversões forçadas.

Até o momento, nenhum indivíduo foi condenado por conversões forçadas na Índia. Isso apesar do fato de que algumas das leis anticonversão estão em vigor desde 1967.

veja também