Indonésia: Estudantes de teologia são despejados do acampamento

Indonésia: Estudantes de teologia são despejados do acampamento

Atualizado: Sexta-feira, 30 Outubro de 2009 as 12

Aproximadamente 700 estudantes da Faculdade Evangélica de Teologia de Arastamar (SETIA, sigla em Inglês) serão despejados no fim do mês de um acampamento, em Jacarta, para onde os muçulmanos os levaram no ano passado.

A educação irá acabar para os estudantes que têm vivido nas 11 tendas e estudam a céu aberto no acampamento Bumi Perkemahan Cibubur (BUPERTA), muitos deles por mais de um ano. Centenas de manifestantes gritavam ''Allahu-Akbar (Deus é Grande)'' e armados com facões forçaram a evacuação dos funcionários e estudantes do campus da SETIA no vilarejo de Kampung Pulo nos dias 26 e 27 de julho de 2008.

Incitados pelo anúncio de um alto-falante da mesquita que dizia: ''Expulsem os vizinhos indesejáveis'', seguido de um engano entre estudantes e moradores da região. Os agressores também tinham bambus afiados e ácidos e feriram pelo menos 20 estudantes. Alguns deles ficaram seriamente feridos.

O governo de Jacarta parou de pagar o aluguel do local do acampamento, uma conta de aproximadamente R$ 560 mil reais, e os oficiais do acampamento disseram que isso resultará no despejo dos estudantes e no fim dos estudos deles no fim do mês.

No começo do mês, os oficiais do acampamento cortaram a eletricidade e a água; como conseqüência, os estudantes têm que andar 1,5km para tomar banho e usar o banheiro num mercado em Cibubur. As tendas de muitos estudantes foram derrubadas. Apesar das condições, fontes disseram que os estudantes têm mantido o entusiasmo.

O oficial da SETIA disse que o líder do acampamento recusou seu pedido para uma extensão do prazo.

''A eletricidade e a água foram cortadas depois que o gerente do acampamento de Cibubur recusar a solicitação de Arastamar'', disse o administrador da SETIA Yusuf Lifire.

Outros estudantes da faculdade estão em um abrigo temporário em outras regiões de Jacarta, mas, estão tão lotados que os estudantes estão ficando doentes.

O líder do acampamento de BUPERTA, Umar Lubis, disse que os oficiais têm demonstrado uma grande tolerância durante o tempo em que ficaram sem receber o aluguel.

O secretário da província de Jacarta, Muhayat, disse que no começo de outubro de 2008, o governo era responsável pelo aluguel do acampamento SETIA, e o governo tomou essa decisão, ele disse, por que a faculdade recusou-se a mudar para Jonggol cerca de 50 km do antigo campo.

''Nós dissemos a eles que se mudassem para Jonggol, mas Aramastar quis permanecer em Jacarta'', disse Muhayat.

O reverendo Matheus Mangentang, o reitor da SETIA, disse que eles recusaram mudar-se para Jonggol por que a autorização da escola deles era para Jacarta.

''Se nós mudássemos, teríamos que conseguir uma nova e este é um processo extremamente difícil'', disse Matheus.

As enfermidades atacam

Muitos estudantes estão sofrendo com doenças respiratórias e outras doenças, alguns estão com câncer de mama. A doença está sendo tratada pelo hospital da Universidade Cristã da Indonésia.

Um dos estudantes que moram no acampamento de BUPERTA disse que muitos alunos tiveram febres por picadas de mosquitos.

''Quando chove aqui, nós dormimos na água e na lama'', disse uma estudante de 21 anos que se identificou como Siska. ''Não sabemos para onde iremos. Nós esperamos que o governo de Jacarta nos ajude'', ela disse.

O vice-governador de Jacarta, Prijanto, prometeu encontrar uma solução.

O reverendo Matheus Mangentang disse que ele continua a esperar pela boa vontade do governador de Jacarta, pois a faculdade retornaria para o seu lugar inicial em Pulo Kampung.

veja também