Jovem adota bebê encontrado na lata de lixo: “Dei um passo de fé”

Jimmy estava em um trabalho voluntário no Haiti quando se deparou com um bebê em uma lixeira.

Fonte: Guiame, com informações do MetroAtualizado: quinta-feira, 4 de agosto de 2022 11:31
Jimmy era um estudante de 22 anos quando se deparou com o pequeno Emilio. (Foto: Jimmy Amisial/SWNS)
Jimmy era um estudante de 22 anos quando se deparou com o pequeno Emilio. (Foto: Jimmy Amisial/SWNS)

Jimmy Amisial estava em um trabalho voluntário no Haiti, em sua cidade natal, quando o que havia dentro de uma lixeira sua vida mudou para sempre.

Jimmy mora em San Marcos, no Texas (EUA), e foi a Gonaives, no Haiti, para passar suas férias. Ele estava a caminho do orfanato em que era voluntário desde a adolescência quando se deparou com um grupo de pessoas em torno de uma lixeira.

Intrigado, ele se aproximou para ver o que estava acontecendo e ficou surpreso ao ver um bebê de quatro meses dentro da lata de lixo, coberto de formigas.

Jimmy logo entrou em ação e pegou a criança. Ele levou o bebê para casa de sua mãe, Elicie Jean, de 66 anos, para dar à criança um banho, alimento e roupas limpas, antes de levá-la para atendimento médico.

A polícia haitiana chegou a iniciar uma  investigação para encontrar os pais do menino, mas sem sucesso. Um juiz perguntou a Jimmy, na época um estudante de apenas 22 anos, se ele se tornaria o guardião legal do bebê — e ele respondeu que sim.

Desde então, Jimmy, que estuda na Texas State University, divide seu tempo entre os Estados Unidos e o Haiti, onde o pequeno Emilio Angel Jeremiah está sendo cuidado por Elicie.

Agora, Jimmy se inscreveu para adotar formalmente Emilio e se tornar seu pai oficial, informa o tabloide britânico Metro.

“Quando o encontrei, ele tinha quatro meses, agora ele tem quase cinco anos”, disse Jimmy, agora com 27 anos.


Jimmy contou com o apoio de sua mãe para criá-lo. (Foto: Jimmy Amisial/SWNS)

“Quando acordei naquele dia, não sabia que minha vida estava prestes a mudar para sempre”, afirmou Jimmy ao Metro. “As pessoas estavam se aglomerando em volta da lixeira e eu os ouvi discutindo sobre o que fazer com esse bebezinho.”

E acrescenta: “Todo mundo estava só olhando para ele, nem uma única alma queria ajudar. Ele estava chorando e sem roupa e eu podia ver a dor em seus olhos — eu tinha que fazer alguma coisa.”

Passo de fé

Quando Jimmy levou o bebê para casa de sua mãe, ela ficou chocada, mas imediatamente disposta a ajudar.

Ao ser questionado pela Justiça se iria se tornar tutor do bebê, Jimmy diz que ficou sem dormir por dias, tentando chegar a uma decisão. “Eu já estava com minhas taxas universitárias atrasadas e minha família sempre lutou para sobreviver. Mas eu não tive um pai na infância, e essa pobre criança estava enfrentando uma vida inteira de instabilidade e incerteza.”

Ele destacou: “Algo dentro de mim estava me dizendo que isso tinha acontecido por uma razão — então eu dei um passo de fé. Às vezes você não tem que saber o que fazer, você só tem que estar pronto para fazer.”


Jimmy divide seu tempo entre estudar, trabalhar e criar Emilio. (Foto: Jimmy Amisial/SWNS)

Para sustentar sua família, Jimmy teve que tirar um tempo considerável de seus estudos, mas agora está se preparando para começar seu terceiro ano de faculdade, em setembro.

Ele ainda precisava arrecadar US$ 30.000 para completar o processo formal de adoção legal de Emilio. Até a publicação desta matéria, uma página de arrecadação de fundos conseguiu levantar US$ 22.464, através de mais de 500 doações. 

“Eu tive que agir quando ninguém mais queria, e sou muito grato pelos últimos quatro anos e meio”, declara Jimmy. “Eu realmente me sinto como um pai, e estou animado para colocar a caneta no papel e fazer do Emilio o meu filho.”

Siga-nos

Mais do Guiame

O Guiame utiliza cookies e outras tecnologias semelhantes para melhorar a sua experiência acordo com a nossa Politica de privacidade e, ao continuar navegando você concorda com essas condições