Jovem cristã testemunha de sua fé

Jovem cristã testemunha de sua fé

Atualizado: Sexta-feira, 14 Janeiro de 2011 as 9:17

Nina* tem 18 anos e vive num país da Ásia onde o budismo é predominante como religião. Seu pai é militar, e sua mão é uma devota cristã. Em casa, Nina sempre foi constantemente exposta a histórias e lições da Palavra de Deus. Na escola, sua fé em Jesus Cristo é constantemente argumentada.

Por conta de seu ótimo desempenho escolar, ela foi selecionada a fazer parte da equipe que competirá a feira de ciências anual de um colégio. O governo patrocina o evento, e Nina considerou essa uma oportunidade única de ser escolhida. Porém, no primeiro dia de competição, o vice-diretor decidiu levar a equipe primeiro a um templo.

Percebendo sua difícil situação, Nina ficou inquieta em seu assento no ônibus com seus colegas da equipe. Enquanto ia ao monastério, ela pensava o que poderia fazer, e o primeiro dos dez mandamentos ressoava em sua mente – “não terá outros deuses além de mim”. Nina se sentiu enganada, confusa e sem saída. Obedecer a Deus significaria desobedecer o vice-diretor.

Nina sabia que ele é disciplinador e muito severo quanto a isso. A ideia de ser exposta ao ridículo e levar uma bronca em um dia tão memorável lhe dava medo, mas a Palavra de Deus continuava em seus pensamentos. Não sabendo mais o que fazer, ela começou a orar silenciosamente.

“Senhor, tu já mudastes o coração de reis tantas vezes, certametne que pode fazer isso novamente! Por favor, Senhor, fale ao coração dele!”

Quando a equipe chegou ao templo, todos entraram, exceto Nina que ficou parada na entrada. Um professor estrangeiro de um país vizinho estava ao seu lado, e queria entrar mas não podia por conta das roupas que não eram certas. “Por que você não vai lá? Todas as religiões são iguais”, disse ele a Nina.

“Eu não posso… Eu não posso desobedecer ao meu Deus, depois de O conhecer,” respondeu a jovem.

Enquanto a equipe saiu do templo, o vice-diretor olhou furioso para Nina. “Por que você não entrou no templo conosco?”

“Senhor, eu nasci cristã. Quando minha mãe me teve, eu estava fraca e prestes a morrer. Alguns cristãos oraram por mim e Deus ouviu suas orações,” ela compartilhou.

“Você poderia ter entrado conosco e não ter participado das cerimônias,’ explicou o vice-diretor, calmamente. Nina soube que o Senhor tinha ouvido as suas orações.

“Eu não senti paz em meu coração. Me senti desobedecendo a Deus se  entrasse no templo, senhor,” respondeu.

O vice-diretor não questionou mais Nina e nem a repreendeu por isso. “Eu fiquei surpresa ao ver como o Senhor repentinamente mudou o coração dele. Dificilmente ele conversa assim com os alunos. Geralmente é firme e duro,” testificou Nina durante o programa de treinamento de jovens que a Portas Abertas Internacional organizou. A sua equipe ficou no terceiro lugar na competição.

“Ele (o vice-diretor) quer ter um filho há tempos, mas sua esposa sofreu muitos abortos. Tenho orado para que sua esposa engravide e tenha o bebe. Também oro para que ele conheça Jesus Cristo. Tenho certeza de que acontecerá um dia!”

*Pseudônimo

Tradução: Carla Priscilla Silva

veja também