Jovens clamam por avivamento em meio a protestos contra o comunismo em Hong Kong

Em resposta à celebração do 70º aniversário da revolução comunista chinesa, jovens de Hong Kong estão clamando por avivamento.

fonte: Guiame, com informações da CBN News

Atualizado: Terça-feira, 1 Outubro de 2019 as 10:44

Manifestantes protestam contra o comunismo chinês em Hong Kong (Foto: Reuters / T. Peter)
Manifestantes protestam contra o comunismo chinês em Hong Kong (Foto: Reuters / T. Peter)

A China comemorou o 70º aniversário de sua revolução comunista, exibindo seu poder militar nesta terça-feira (1). Isso ocorre depois que confrontos violentos eclodiram nas últimas semanas, em Hong Kong e protestos continuaram hoje contra o regime comunista de Pequim.

O desfile militar mostrou o crescente avanço da China como uma potência global cada vez mais ambiciosa, destacando a rápida tecnologia avançada de armas, incluindo mísseis que supostamente podem atingir os EUA em 30 minutos.

Filas de soldados marcharam em passos largos após o presidente Xi Jinping e outros líderes na Praça Tiananmen. O "Exército de Libertação Popular" da China é o maior exército do mundo, com dois milhões de homens e mulheres fardados.

Enquanto o governo da China celebra o comunismo, os manifestantes de Hong Kong estão determinados a combater a celebração com pedidos de liberdade.

Um manifestante foi baleado e gravemente ferido durante as manifestações desta terça-feira. O fim de semana também trouxe confrontos violentos para os protestos pró-democracia, lembrando cinco anos atrás, quando a comemoração pacífica do Movimento Umbrella terminou em caos. Os manifestantes jogaram tijolos e bombas de gasolina na sede do governo, enquanto a polícia os dispersava com canhões de água e gás lacrimogêneo. Os manifestantes também atearam fogo na entrada da estação de metrô.

A demonstração de raiva dos cidadãos de Hong Kong é uma tentativa de ofuscar a grande celebração do 70º Dia da Fundação na China.

O que pode preocupar Pequim e o Partido Comunista é que mesmo os estudantes secundários muito jovens estão dispostos a deixar suas aulas para desafiar os líderes do governo de Hong Kong e da China.

Esses jovens — sobretudo os cristãos — estão gritando: "Avivamento em Hong Kong! Revolução dos nossos tempos". Eles são enfáticos em seu clamor, porque sabem que são os mais são afetados quando seus direitos e liberdades sob o acordo de dois sistemas de um país estão sendo corroídos pela China e seus líderes.

Mas o líder estudantil pró-democracia Joshua Wong está otimista, especialmente depois de testemunhar perante o Congresso dos EUA, onde a lei de direitos humanos de Hong Kong está perto de obter aprovação. Isso irritou o Partido Comunista chinês.

Wong disse à CBN News: "Quando o projeto de lei sobre direitos humanos e democracia já tiver passado no Senado e no comitê da Câmara, podemos fazer com que as pessoas de Hong Kong tomem consciência de como a comunidade internacional se posiciona com Hong Kong. Espero que nosso movimento possa avançar com vitória. Quando enfrentamos dificuldades, ainda estamos otimistas em perceber que Deus abrirá caminho ".

 

veja também