Jovens distribuem livros de esperança às famílias das vítimas de desabamento no RJ

Familiares das vítimas do desabamento no RJ recebem livros

Atualizado: Quarta-feira, 8 Fevereiro de 2012 as 1:28

Um grupo de jovens da Igreja Adventista decidiu levar conforto e esperança para as pessoas que perderam familiares e amigos durante o desabamento dos três prédios na quarta-feira, 25 de janeiro, na Avenida 13 de Maio, no centro do Rio de Janeiro. Os jovens foram até o local da tragédia e fizeram a distribuição de 500 livros A Grande Esperança, da autora Ellen G. White.


De acordo com a coordenadora da equipe jovem da igreja adventista do sétimo dia da região central da cidades, Juliana Huang, a notícia sobre o desabamento sensibilizou os amigos envolvidos na entrega do impresso.  “Na quinta-feira à noite, começamos a telefonar para os jovens da igreja planejando fazer alguma coisa que pudesse ajudar as famílias que não encontravam esperança. Entramos em contato com os responsáveis pela Câmara dos Vereadores, local onde estavam as pessoas que perderam os familiares durante a tragédia, e pedimos a autorização para distribuir a eles o livro A Grande Esperança. Após fazerem várias perguntas sobre o livro, eles autorizaram e na sexta-feira, fomos até o local para dar conforto às pessoas sofridas e entregamos 500 livros”, destacou Huang.


Um dos jovens que participou da ação, Renan Fontes, comentou que a organização foi feita em menos de 24 horas, pois não podiam perder a oportunidade de levar esperança aos familiares dos desaparecidos antes do término de 48 horas.


Por isso, na sexta-feira, 27 de janeiro, a pedido da equipe jovem, um dos funcionários da Câmara serviu juntamente com o jantar o alimento espiritual. Assim, cada bandeja servida às famílias que esperavam por notícias dos seus parentes desaparecidos foi acompanhada de um exemplar do livro A Grande Esperança. Além disso, diversas pessoas que passavam pelo local da tragédia também receberam o material.
Para Carolina Alves, que passou pela região e recebeu um livro, a iniciativa foi positiva. “Com certeza, é muito bom entender melhor sobre esse mundo e acreditar que ainda existe uma esperança de algo melhor. Parabenizo esses jovens pelo trabalho”, concluiu Carolina.

veja também