Jovens são convocados para o trabalho missionário no sul do Brasil

Jovens são convocados para o trabalho missionário no sul do Brasil

Atualizado: Quarta-feira, 8 Setembro de 2010 as 8:07

O grupo que ficou até tarde ontem não perdeu tempo e lotou o auditório do Fenavinho, em Bento Gonçalves na manhã desta segunda-feira, dia 6 de setembro. O louvor do grupo Comunion animou os jovens que ouviram atentos a pregação do pastor Ivan Saraiva, orador da TV Novo Tempo.

"Não adianta nada ter uma linda e animada sociedade de jovens se você não quer ser igual a Jesus e, cá pra nós, lá no fundo, você não quer ser igual a Jesus. Pois se você for igual a Jesus, vai usar seu dinheiro pensando nos que não têm, vai cuidar de aspectos da sua vida que você não quer cuidar", provocou o pastor Saraiva. Depois de mais música o grupo ouviu os argumentos em prol do criacionismo ensinados pelo jornalista e editor da Casa Publicadora Brasileira, Michelson Borges, que explicou um pouco a luta travada na mídia para sufocar os argumentos em prol de Deus. "Muitos não gostam e agridem o Criacionismo porque não entendem. Esta teoria admite até alguns fundamentos da evolução e é coerente com a ciência. Se mais pessoas soubessem disto, aceitariam melhor",  explicou Michelson.

Um dos convidados desta manhã foi o Dr. Rodrigo Silva, professor de Teologia e especialista em arqueologia bíblica, que mostrou como alguns termos cristãos como "jogar o pão sobre as águas" precisa de mais profundidade de estudo para ser bem entendidos. "A Bíblia não é um livro para ser lido e por isto muitos se confundem. A Bíblia é um livro para ser estudado, meditado e obedecido", determinou Silva  explicando conceitos bíblicos relacionados com os costumes judaicos e jogou por terra um dos argumentos contra Deus que é o sofrimento no mundo. "Muitos ateus usam como argumento de que Deus não existe a pobreza do mundo. Eu já preguei na Europa e na África e em lugares muito miseráveis e com gente que sofre muito na África e não foi lá que encontrei mais ateus, ao contrário", explicou o pastor que recentemente pregou no Sudão, um dos países mais pobres da África. "Tenho pensado que se este fosse o caso, a África seria o maio reduto de descrentes. Mas tenho observado que quem usa este argumento do sofrimento é, na verdade, quem filosofa sobre as misérias alheias, mas não as experimenta na prática", ponderou.

Ao final da programação da manhã o pastor Marlinton Lopes explicou o projeto Templos de Esperança e falou da urgência em se envolver na missão na Igreja. Para o pastor Elmar Borges, o líder de Jovens da União Sul, o projeto Calebe é a chance de o jovem levar o evangelho. "Que vergonha se Deus precisar mesmo convocar as pedras para pregar e que desculpa vamos dar? Que tinha faculdade, que estávamos cansados, que  tínhamos mais o que fazer? Não vamos fazer isto, pois vamos trabalhar para Deus, queremos ir para o céu jovens e queremos ver Jesus voltar  em nossa geração", conclamou o líder ao convocar os participantes do Campori para participar de projetos missionários locais como entrega de livros missionários, pesquisa de interessados para um evangelismo que acontecerá em duas semanas perto de Bento Gonçalves e na divulgação da TV Novo Tempo na cidade. Além disso, um grande grupo, incluindo o prefeito da cidade, compareceu ao Shopping America para o cadastramento de doadores de medula, do projeto Galera da Medula.

Outras informações e fotos no www.camporiinhotel.com.br .

Por Fabiana Bertotti

veja também