Junta de Missões Mundiais expõe metas e desafios para 2012jmm

Executivo fala dos desafios e alvos da JMM

Atualizado: Sexta-feira, 20 Janeiro de 2012 as 3:54

Em Congresso da OPBB – Ordem dos Pastores Batistas do Brasil – em que o Pr. Eber Silva foi reeleito presidente, uma programação especial sobre missões despertou seus participantes a investirem seus dons e talentos na obra de evangelização dos povos. Para isso, o Pr. João Marcos Barreto Soares falou de forma especial sobre o SIM, congresso sobre vocação que acontecerá no mês de junho, em São Paulo, bem como sobre algumas metas e desafios da JMM.
Logo no início do culto, o Pr. Paschoal Piragine, presidente da CBB – Convenção Batista do Brasil – fez um importante pedido aos pastores: “Líderes, vamos juntos mexer no céu. Ninguém poderá impedir aquilo que o Senhor ainda fará.”.
Os diretores executivos das duas agências missionárias da CBB, deixaram claro que é exatamente para isso que trabalham. Dentro do slogan “Uma só voz”, mostrando que é possível caminhar lado a lado para levar Cristo aos povos, eles apresentaram os desafios das duas Juntas. Os executivos lembraram, ainda, que não se faz missões para a JMM ou JMN. Mas se faz missões para Cristo.
Para isso, as duas Juntas contam com o apoio das igrejas. “A visão do pastor é a chave para a obra missionária”, disse o Pr. Fernando Brandão, diretor executivo da JMN. 
“A JMM não tem missionários. As igrejas batistas, sim, têm missionários. O nosso trabalho é resultado do trabalho dos pastores nas igrejas”, declarou o Pr. João Marcos.
Ele aproveitou para agradecer aos pastores pelo total envolvimento com Missões Mundiais porque, depois de 9 anos, a JMM ultrapassou o seu alvo. 
“O mundo inteiro passou a entender que o Brasil está assumindo uma posição de destaque na evangelização mundial. Os americanos abriram todos os seus segredos sobre missões para nós. Eu ouvi coisas que jamais imaginei ouvir, durante uma reunião de 3 horas nos Estados Unidos”, disse o Pr. João Marcos.
O executivo falou ainda sobre os alvos de Missões Mundiais: “A JMM tinha 600 missionários até pouco tempo e este ano já tem 719. O desafio é ter 900 missionários até o final de 2013.”. Mas segundo o pastor, a JMM tem potencial para ter 2.000 missionários hoje. “Eles estão nas igrejas, esperando que os pastores lhes digam que aquela notícia que o comoveu é a Palavra de Deus lhes mostrando a direção”, disse o executivo da JMM.
O Pr. João Marcos desafiou os pastores a pregarem sobre vocação, pelo menos, uma vez por mês. É preciso trabalhar para que a próxima geração de missionários surja. 
Um dos desafios que a JMM mais tem perseguido é o de ter 100 missionários em um dos países da Ásia mais fechados ao Evangelho, onde normalmente não se aprende a língua local em menos de 10 anos. Por isso, a ideia é fazer com que esses missionários tenham uma experiência de imersão para serem capacitados a se comunicarem o mais rápido possível naquele idioma. Hoje a localidade já tem 22 missionários. Pelo seu planejamento, a JMM alcançará esta meta dentro de 3 anos. Para isso, deverá ser lançado em breve o Projeto Radical Ásia. Nele o missionário passará um ano em treinamento no Brasil e 4 anos na Ásia. 
O Pr. João Marcos falou ainda sobre o primeiro congresso sobre vocação que as Juntas promoverão: o SIM. Ele será realizado em junho, em São Paulo. As reservas já podem ser feitas no estande da JMM na 92ª Assembleia da CBB, em Foz do Iguaçu/PR.
“Nós queremos, por exemplo, que aquele irmão que é estudante de medicina entenda o ministério dele como médico. A ideia é que todos digam SIM a Deus”, explica o Pr. João Marcos. Ele convocou cada igreja a enviar, pelo menos, um irmão ao SIM.
O executivo encerrou sua palavra agradecendo, mais uma vez, aos pastores. “Depois da bênção de Deus, os pastores são a razão pela qual o nosso trabalho tem dado certo”, finalizou.

veja também