Líder adventista do Oriente Médio convoca missionários

Líder adventista do Oriente Médio convoca missionários

Atualizado: Terça-feira, 1 Novembro de 2011 as 10:55

Um chamado à missão deu a tônica da mensagem apresentada, na manhã desta terça-feira (1º), em Brasília, durante a Comissão Diretiva Plenária da Divisão Sul-Americana, pelo pastor Homer Trecartin, recém-nomeado como presidente da uma união responsável pela administração adventista no Oriente Médio. A Associação Geral da Igreja Adventista do Sétimo Dia (AG) decidiu estabelecer uma região que pudesse atender com uma estratégia diferenciada 21 países com uma população de 500 milhões de pessoas onde há apenas dois mil adventistas (proporção de 1 adventista para cada 250 mil habitantes). 

 Trecartin relembrou a experiência missionária de Paulo, Silas e Lucas e do pioneiro adventista sul-americano Jorge Riffel e destacou que todos eles não tiveram medo de enfrentar desafios e perigos para levar avante a mensagem a quem precisa em diferentes lugares e culturas. “Há muita gente hoje que nos diz que é perigoso e até ilegal ir para onde estamos indo. Mas precisamos fazer o trabalho de Deus”, comentou o líder.

 O plano da AG é que na região do Oriente Médio sejam estabelecidos inicialmente 25 centros de influência em vários países estratégicos. Até o final de 2013, a meta é mais ambiciosa e prevê a criação de 100 centros de influência. Conforme o pastor Trecartin, esses centros poderão ser lugares de saúde, escolas de inglês, programas de alfabetização, apoio a estudos, restaurantes e até casas.

 O conceito de centros de influência é interessante, porque a ideia não é apenas criar meios de envolvimento religioso, mas social. Uma das metas parece ser a de criar uma visão diferenciada do cristianismo de modo a quebrar preconceitos, principalmente em relação aos muçulmanos. “No Egito, por exemplo, há policiais posicionados na frente de igrejas cristãs. Fazem isso para proteção, mas, também, para assegurar que os muçulmanos não entrem em um templo cristão”, explicou.

 No final do sermão, Trecartin fez um apelo aos líderes sul-americanos para que ajudem a reforçar a ideia de enviar mais missionários às regiões principalmente da chamada Janela 10/40, onde o cristianismo é quase inexpressivo frente a outras crenças religiosas. “Orem mais, no entanto façam ainda mais por nós no Oriente Médio”, suplicou o líder.

veja também