Mais de 2800 cristãos estão presos na Eritreia

Mais de 2800 cristãos estão presos na Eritreia

Atualizado: Segunda-feira, 14 Dezembro de 2009 as 12

Um grupo de 30 mulheres - idosas, em sua marioria - foi detido no dia 5 de Dezembro, na Eritreia. O seu ''crime'' constitui em pertencerem a uma igreja evangélica, não reconhecida oficialmente pelo Estado totalitário do país africano.

Na Eritreia apenas podem operar a Igreja Ortodoxa da Eritreia, a Igreja Católica e a Igreja Evangélica Luterana da Eritreia. Qualquer outra confissão é proibida e os seus praticantes estão constantemente sujeitos à detenção e a tempos indefinidos nas prisões do país.

Mesmo as religiões oficiais têm passado por dificuldades. O Patriarca Antonios foi deposto pelo sínodo da Igreja Ortodoxa sob pressão do Governo e tem estado em prisão domiciliar desde o ano passado.

Ao todo, organizações internacionais estimam que cerca de 2800 cristãos estejam detidos por causa da sua fé - a maioria em condições alarmantes. Há relatos de 15 a 20 presos ocupando celas expostas ao sol e um sobrevivente definiu as condições da prisão onde esteve como ''viver numa fossa ao ar livre''.

Religião na Eritreia

A Eritreia tem duas religiões dominantes: o Islã e o Cristianismo, com aproximadamente metade da população seguindo uma das duas religiões. Muitos dos muçulmanos seguem o sunismo Islâmico. Os cristãos consistem primordialmente da Igreja Ortodoxa Eritreia Tewahido, a qual é a igreja oriental ortodoxa local, enquanto grupos consideráveis de católicos romanos (incluindo Eritreus Italianos), protestantes, e outras denominações também existem.

Desde maio de 2002, o governo da Eritreia oficialmente reconheceu a Igreja Ortdoxa Eritreia Tewahido, o Sunismo Islâmico, o Catolicismo, e a igreja Evangélica Luterana. Todas as outras religiões e denominações estão sujeitos a um processo de registo. Entre outras coisas, o sistema de registo do governo exige que os grupos religiosos enviem informações pessoais sobre seus membros para serem autorizados a seguí-la. As poucas organizações que cumpriram todos os requisitos de registo ainda não receberam reconhecimento oficial.

As Testemunhas de Jeová, a Fé Bahá'í, a Igreja Adventista do Sétimo Dia, e inúmeras outras denominações não são registradas e não podem prestar culto livremente. Elas foram efetivamente banidas, e foram tomadas medidas contra seus adeptos. Muitos foram presos por meses ou até mesmo anos. Três homens são conhecidos por estarem presos desde 1994. Nenhum deles é acusado oficialmente e nem têm acesso ao processo judicial. No relatório de liberdade religiosa de 2006, o Departamento de Estado dos Estados Unidos, pelo terceiro ano consecutivo, nomeou a Eritreia um ''País de Preocupação Específica'', designando-o como um dos piores violadores dos direitos religiosos do mundo

veja também