Mesmo com assassinato de missionários, ensino bíblico avança em Camarões

Comunidades remotas da região do Sahel no norte da África vivem à sombra do extremismo.

fonte: Guiame, com informações da Sociedade Bíblica do Reino Unido

Atualizado: Terça-feira, 2 Março de 2021 as 10:05

Os amigos Jonas e Joseph, professores de alfabetização assassinados em ataques do Boko Haram. (Foto: Reprodução / Sociedade Bíblica do Reino Unido)
Os amigos Jonas e Joseph, professores de alfabetização assassinados em ataques do Boko Haram. (Foto: Reprodução / Sociedade Bíblica do Reino Unido)

Professores de alfabetização, os amigos Jonas e Joseph eram parceiros da Sociedade Bíblica para ensinar e evangelizar a comunidade onde moravam, em Camarões. Em 2020, os dois foram assassinados em ataques do Boko Haram depois de uma ‘calmaria’ de dois anos.

“No ano passado, perdemos Jonas e Joseph, dois dedicados professores de alfabetização bíblica em Camarões que foram mortos na violência terrorista”, explica a Sociedade Bíblica do Reino Unido.

Jonas, 42 anos, um ancião da União das Igrejas Evangélicas em Camarões, foi morto na noite de 8 de agosto enquanto montava guarda do lado de fora da igreja com três outras pessoas.

Em 18 de setembro, apenas 40 dias após a morte de Jonas, o Boko Haram matou outro facilitador de alfabetização, Joseph. Ele tinha 43 anos e oito filhos.

Legado

A Sociedade Bíblica do Reino Unido diz que o trabalho dos dois missionários mudou vidas. Em lugares predominantemente islâmicos, como as comunidades do norte que Jonas e Joseph serviam, os cristãos são poucos em número, mas conhecidos como pessoas de justiça e integridade, afirma a instituição.

“O testemunho deles está atraindo pessoas a Jesus”, diz a Sociedade Bíblica. “Pessoas que vivem sob a ameaça de Boko Haram desejam ouvir a palavra de Deus”.

A instituição cristã diz que para isso os obreiros bíblicos da região do Sahel, no Norte da África, estão determinados a levar as boas novas às pessoas nas piores circunstâncias: “Eles estão nos dizendo que este é um momento para compartilhar a Bíblia com coragem e urgência, e estão pedindo ajuda para isso”.

“Precisamos ajudar o trabalho corajoso dos distribuidores e tradutores da Bíblia que levará a palavra de Deus a mais pessoas este ano”, diz a instituição que apela para que as pessoas contribuam financeiramente para que as Bíblias cheguem nas mãos dos missionários locais.

Os desafios do Sahel

A região do Sahel é uma faixa de 500 a 700 km de largura, em média, e 5.400 km de extensão, entre o deserto do Saara, ao norte, e a savana do Sudão, ao sul; e entre o oceano Atlântico, a oeste, e ao mar Vermelho.

Grupos extremistas operam na região do Sahel, onde produzem ataques terroristas, invadem e tomam propriedades de agricultores, sequestram crianças e recrutamento meninos para transformá-los em soldados.

Apesar das dificuldades, a Sociedade Bíblica diz que colegas de Jonas e Joseph estão continuando o trabalho de tradução para disponibilizar a Bíblia em Mali e distribuindo Bíblias nas áreas mais remotas do Níger.

“No Chade, nossas equipes estão ministrando aulas de alfabetização baseadas na Bíblia e trabalhando em campos de refugiados, onde podem ministrar a crianças traumatizadas pela violência e pelo conflito”, diz.

Na maioria dos países da região, os cristãos estão em minoria.

No Sahel grupos extremistas como Boko Haram são ativos. Na região há grande instabilidade política e as nações se esforçam para se recuperar de conflitos.

O Mali e Níger estão entre os países mais pobres do mundo. A terra é frágil, afetada pelas mudanças climáticas e sujeita a desastres ambientais que podem levar à escassez de alimentos.

A infraestrutura dos países é pobre, o que afeta a distribuição de Bíblias.

veja também