Ministério da Prisão muda vida de 72 encarcerados

Ministério da Prisão muda vida de 72 encarcerados

Atualizado: Segunda-feira, 16 Maio de 2011 as 10:03

O Ministério da Prisão foi criado quando através de uma carta um preso pediu aos adventistas que o visitassem e também seus sete filhos que moravam com a avó. A carta chegou a Igreja Adventista Central de Maringá e ficou parada durante 40 dias.  Num sábado à tarde Ruth Tesche, então líder do Ministério da Mulher, soube da existência de uma carta empoeirada de um detento.

Ela foi tocada pelo Espírito Santo e depois de muita luta com Deus aceitou o convite para visitá-los, tanto a família quanto o encarcerado. Após a visita outros presos pediram a visita de Ruth, com o passar do tempo ela ficou conhecida por "mãe" nas penitenciárias. "Muitos nunca tiveram o amor de suas mães. Eles me adotaram, pois comigo receberam o primeiro carinho materno", conta Ruth.

Ali surgiu um trabalho de evangelismo que perdura por 17 anos. Atualmente um grupo de sete voluntários realiza assistência espiritual em todos os presídios da região de Maringá. Os filhos adotivos de Ruth foram transferidos ou libertos e hoje ajudam neste evangelismo. "O trabalho está se difundindo, em Foz do Iguaçu e Mandaguari temos um grupo fazendo o mesmo trabalho. Planejo levar o projeto a Curitiba, pois muitos presos que saíram daqui falam do projeto lá. Nesse mês teremos o batismo de um detendo da capital que virá pra Maringá exclusivamente para ser batizado", afirma a evangelista.

Batismo dentro da prisão - Um batismo um tanto curioso aconteceu no Centro de Detenção Provisória de Maringá, no mês de abril. Foi a vitória contra o passado de 22 presos que ao passarem pelo batismo iniciaram uma nova jornada. Esta entrega foi realizada pelo pastor Nilton de Oliveira, da Igreja Central de Maringá. "Nestes quatro anos em que realizo este trabalho, Deus transformou 180 pessoas e hoje temos uma igreja dentro desta prisão. O nosso líder aqui é o Marcos, quando chega alguém novo na prisão ele leva pra cela dele e doutrina essa pessoa durante um mês", explica o pastor Nilton.

O evangelista Marcos Roberto está preso a mais de três anos e conta como Deus o tem usado dentro da unidade prisional, ele foi transformado por Deus enquanto estava preso. "Jesus me tocou dentro do cárcere e eu nunca encontrei nada tão verdadeiro na vida. Ele mudou a minha vida, eu estava sem direção e condenado. Jesus me deu a esperança que já havia perdido. Este batismo foi maravilhoso pra mim, pois muitos que, como eu, estavam no crime decidiram pelo batismo", conta Marcos.

O Centro de Detenção Provisória conta com 12 celas evangélicas, mas conhecidas como igrejas, e 72 adventistas. Entre eles, o recém-batizado Alcides Figueiredo, que era traficante de drogas e conheceu a Igreja Adventista através do Ministério da Prisão. "Só em Jesus há esperança para todos nós. Eu conheci os caminhos do Senhor ainda criança, mas quando cresci me desviei. Reencontrei a paz no primeiro dia que estava preso, Deus é incrível e Ele me colocou na mesma cela que o irmão Marcos. Eu refiz minha aliança com Deus através do batismo, hoje sinto Deus atuando na minha vida", testemunha Alcides.

Distribuição de mil Bíblias e materiais evangelísticos - Além de visitar os encarcerados, este ministério leva mensagens de conforto, carinho e esperança aos detentos através de várias literaturas. No dia 06 de maio foram distribuídas revistas, estudos bíblicos e mil Bíblias na unidade penal. "Nosso objetivo é levar um evangelho de amor e o conhecimento da salvação aos abandonados pela sociedade. Um dia eles sairão daqui do Centro de Detenção Provisória, mas serão novas criaturas transformadas pelo poder de Deus", expõe a mãe Ruth.

Trabalhar com presos não é fácil. O pastor Ricardo Oliveira é um dos pastores envolvidos no evangelismo prisional. Ele relembra que a princípio hesitou, mas quando percebeu que eram seus irmãos na fé tudo mudou. "Quando eu os ouvi cantar pela primeira vez, aquilo tocou meu coração. Agora toda semana eu aguardo ansiosamente a sexta-feira, que é o dia da visita, para vir pra cá. São pessoas que estão presas neste mundo, mas libertas por Jesus Cristo. Ser revistado é uma coisa pequena ante a alegria de uma conversão", ressalta o pastor auxiliar da Igreja Central de Maringá.

Jesus transforma vidas - Milton Leandro da Silva foi um dos traficantes mais procurados no Estado do Paraná. Após ser preso conheceu a verdade através do Ministério da Prisão em Maringá, ele aceitou a Cristo e foi batizado dentro do presídio. Quando Milton ganhou liberdade seu maior desejo era falar sobre o poder transformador de Deus. Ele e sua esposa Nair retornaram para a cidade de origem e montaram um pequeno grupo em sua residência. O grupo foi crescendo e se tornou a Igreja Adventista do Jardim Califórnia, em Foz do Iguaçu. Hoje Milton é um dos coordenadores do Ministério da Prisão de sua cidade e um grande líder da Igreja Adventista. "Sem dúvida, o trabalho do Ministério da Prisão me ensinou que existe um Deus maravilhoso. Antes só queria saber de crimes e andava armado. Hoje sou uma nova pessoa, a minha única arma é a palavra de Deus. Com o resultado desse trabalho, várias pessoas tomaram a decisão e foram batizadas", afirmou o ex-presidiário Milton.

Para glória de Deus o Ministério da Prisão de Maringá já levou o evangelho a dezenas de pessoas. "Temos apenas um número aproximado, pois muitos são transferidos e continuam o trabalho. Vou saber o resultado deste ministério apenas no céu. Eu amo esses meninos, eles fazem parte da minha família", revela a coordenadora do ministério Ruth Tesche.

Em uma conversa com os discípulos Jesus disse que estando preso não recebeu visita de nenhum deles. Os seguidores espantados perguntaram quando? A resposta de Cristo está escrita no livro de Mateus capítulo 25, versículo 44. "... Em verdade vos digo que, sempre que o deixastes de fazer a um destes mais pequeninos, a mim o deixastes de fazer".

Levando em consideração este verso bíblico o pastor Nilton imagina como será o encontro com Cristo. "Eu me sinto muito feliz nesta tarefa. Eu imagino Jesus me dizendo: Eu estive preso e fostes visitar-me. Eu acho que vai ser especial ouvir Jesus falando que fizemos o bem pelos filhos dEle que estão na prisão. Jesus diz que quando fazemos o bem a outras pessoas estamos fazendo a Ele próprio", expõe.

"Eu cada lugar deste mundo existe um preso que chora em busca da liberdade aos homens ele implora. Queria voltar a ser livre, viver com seus familiares. Mas vai se encontrar num presídio sofrendo atrás de uma grade. Prisioneiro, Jesus vai te visitar. Na cela do seu coração, vai tirar a prisão que te faz chorar. Prisioneiro foi por isso que Jesus morreu, pra que hoje tivesse vida e fosse livre assim como eu". Letra de uma música feita por um detento.

veja também