Ministério evangeliza quenianos nômades

Ministério evangeliza quenianos nômades

Atualizado: Quinta-feira, 7 Julho de 2011 as 5:21

O Quênia passa por uma das piores experiências de seca em muitos anos. De acordo com o Escritório das Nações Unidas para a Coordenação de Assuntos Humanitários, mais de 10 milhões de pessoas do Quênia, Uganda, Djibouti e Somália são ou serão afetadas pela seca, de alguma forma.

Além do preço de alimentos e de combustíveis subir, os especialistas dizem que o governo está olhando para um agravamento da situação de segurança alimentar com níveis alarmantes de desnutrição aguda, sendo gravado em partes afetadas pela seca do Quênia.

Por isso, o ministério Missão no Interior da África realiza um programa de alívio da fome que ainda atormenta o país. Há também um incentivo para a jardinagem sustentável, mas o clima cria condições agrícolas adversas. Para uma tribo nômade de pastores de camelos chamado de "Gabra," a seca dificulta a sobrevivência no norte do Quênia.

Para o ano passado, nenhuma chuva caiu sobre a região e nos desertos que o povo Gabra chamar de lar. Mais do que isso, porém, o Gabra vive em uma seca espiritual. Poucos receberam Jesus, a “água viva”. Em vez disso, eles tentam matar a sede com ritos de passagem, sacrifícios e bênçãos ao seu deus e seus ancestrais, e continuam vivendo em um deserto espiritual.

Os crentes Gabras muitas vezes ganham vida nova em Cristo rapidamente, mas precisam desesperadamente de discipulado, para que suas tradições não os impeçam de crescer espiritualmente. A Missão estima que há, possivelmente, cerca de 100 crentes evangélicos entre os Gabras.

Como os trabalhadores da Missão viajam visitando as aldeias, eles encontram crentes que ainda estão espalhados, que continuam o seu pastoreio nômade em alguns dos lugares mais inóspitos na África.

Então, a Missão tem incentivado esses convertidos a permanecerem na fé e a se juntarem aos crentes que tenham sido alcançados por alguns dos trabalhadores anteriores.

veja também