Missionária ora por mulher que fez pacto satânico

Missionária ora por mulher que fez pacto satânico

Atualizado: Terça-feira, 27 Julho de 2010 as 12:56

Na manhã do último sábado, 24 de julho, durante o recenseamento das casas, fomos surpreendidos por uma dupla nossa que saiu de uma casa chorando. Eles choravam sem parar. Quando percebi, fui até eles. Contaram-me que, ao entrar naquela casa, sentiram uma opressão muito grande e que a menina da dupla chegou a ver vultos. A filha da dona da casa abriu o coração para eles e afirmou que tinha feito vários pactos com satanás, consagrou seu filho pequeno a Iemanjá, foi prostituta e seu primeiro filho foi fruto de um estupro e, por isto, o odiava. Todas estas coisas mexeram com nossos missionários, então o grupo se reuniu e orou. A partir daí, firmamos o propósito de visitá-la em outro dia, pela manhã.

No dia combinado, fomos lá - eu, a dupla que a visitara e dois outros voluntários. Ao conversarmos com a mulher, ela confirmou as mesmas coisas, nos trouxe a estátua de Iemanjá que guardava no armário, dava banho, passava colônia e ofertava coisas. Após muita Palavra e conversa, decidimos confrontá-la, questionando se ela estava feliz, se sentia medo, se queria se livrar de tudo aquilo e reescrever sua história. Ela afirmou que sim. Oramos por ela, fazendo-a renunciar os pactos feitos e entregar-se a Cristo.

Então, ela tomou a decisão de quebrar e queimar a estátua, porque não queria dá-la para outras pessoas, não queria esse mal na vida de ninguém. Do lado de fora da casa, ela quebrou a estátua, jogou no fogo, bem como os livretos de feitiçarias e velas (pretas, vermelhas e amarelas) que guardava.

Depois de tudo isso, ela começou a se sentir mal. Começou a suar e tremer, precisando ser levada para casa, onde começamos a interceder por ela. Lançando ao lado a Bíblia que recebera, livrou-se muita facilmente das mãos que a seguravam (eu e mais duas pessoas). Um dos voluntários, com alguma experiência, a fez segurar suas mãos espontaneamente e repreendeu o mal. Momentos depois, ao mesmo tempo em que ela parava de tremer e gemer, um vento impetuoso soprou e derrubou um dos três quadros da parede - justamente a do seu filho menor - ex-consagrado a Iemanjá. Com isto, a mulher se acalmou, sentiu paz e nós também.

No outro dia, à tarde, uma dupla foi visitá-la e, depois, contou-nos que ela era outra pessoa, pois seu semblante não era mais o mesmo! Glórias a Deus! Eu mesma a vi - tanto antes quanto depois - e seu semblante era outro para a honra, glória e o louvor do nosso Senhor e Salvador Jesus Cristo, e Deus Pai, o Todo-Poderoso!

Postado por: Felipe Pinheiro

veja também