Missionárias relatam trabalho na Angola

Missionárias relatam trabalho na Angola

Atualizado: Terça-feira, 29 Março de 2011 as 10:33

As missionárias Katiucia Gomes e Ana Amélia conversaram com o Portal Verbo da Vida falando um pouco sobre o tempo em que vivenciam na Angola e suas expectativas para este ano.

Fale-nos um pouco sobre as experiências mais marcantes vividas durante este tempo em que vocês estão na Angola.

Ana Amélia: Quando você tem a direção certa em seguir os passos que Deus orienta para a sua vida, você vai ter sucesso. Foi um tempo muito bom, de crescimento e amadurecimento.  E ainda entender muitas coisas que a Palavra diz, que na prática do dia-a-dia você convivendo no seu lugar comum, no seu lugar confortável, não percebe a necessidade que há em certos detalhes. Uma experiência marcante para mim foi ensinar no Rhema Angola. Eu fui para fazer parte do projeto que Rita tinha aberto para a Escola de Missões, então fui para ficar 3 meses.  Mas, fui convidada por ela para ficar mais 3, e mais 3, e agora fui convidada para ficar mais 1 ano. Eu tinha vontade de ensinar, ficava olhando os professores dando aula e eu desejei no meu coração, mas não falei com ninguém. A Palavra de Deus diz que quando você se deleita no Senhor e Ele realiza os desejos do seu coração. Quando eu me vi dando aula, as pernas tremeram! É uma responsabilidade muito grande, as pessoas estarão ouvindo o que irá mudar a vida delas.   Eles  me receberam muito bem, sugaram muito da matéria, realmente foi um presente ensiná-los. Katiucia: Para mim, está na Angola já é uma experiência completamente marcante. Faz parte do meu chamado. Tem sido uma experiência marcante e gratificante. Costumo pensar que me tirar de lá é como tirar um peixe da água. Eu sei que existem as responsabilidades, muito serviço a fazer, mas o fato de conviver com este povo me faz desfrutar de grandes  experiências, as quais eu não troco por nada. Eu tive algumas oportunidades, tanto de ministrar na Igreja Monte Horebe como também de ir para outras congregações. Estive em uma igreja que 90% dos membros não falavam português, falavam algum tipo de dialeto. Um povo totalmente diferente, bem característico da África. Eu tive um intérprete para pregar e vi que não existia presente melhor do que compartilhar a Palavra com aquelas pessoas. Foi muito divertido, eu vi cabras sendo oferecidas como oferta, inclusive eu ganhei uma cabra (risos). Foi uma experiência muito boa! Eu vi fardos de arroz, feijão, sendo depositados no altar, expressando a alegria de estar honrando ao Senhor e a mim como ministra naquele dia, foi muito lindo. Outra experiência foi quando fui com Rita em uma igreja pregar. Mas, ao chegarmos lá, estava acontecendo um velório. E toda a família da falecida estava esperando a ministra (Rita) para pregar. Eu achei lindo, porque naquela ocasião, mesmo sendo de tristeza, nós tivemos a oportunidade de pregar a Palavra de Deus e as pessoas foram alcançadas e aceitaram a Jesus Cristo. A cada dia surgem experiências pelas quais nunca passei no Brasil

Muitas mudanças ocorreram na escola em Angola este ano, como a transição na diretoria de Rita Cavalcanti para Maria Amélia. Quais as expectativas de vocês para 2011? Katiucia: Eu acredito que esta fase de implantação ocorreu nesses 3 anos com a diretora Rita. Agora, em 2011, será um tempo de mais estabilidade e colheita. Eu creio que a carga vai ser menor. Existe hoje uma graça específica para este tempo. Eu creio que vai ser mais leve, porque de fato o ano passado foi muito puxado devido as 3 turmas (Rhema e EMR). Foi muito serviço, mas o tempo todo a graça de Deus nos assistiu. Não foi pesado. Creio que experimentaremos muito mais de Deus, alcançando mais vidas com a Sua Palavra. Ana Amélia: Eu creio que esse ano haverá amadurecimento.  Os frutos que foram plantados na nossa vida, passarão por um amadurecimento, e chegará à colheita. Eu creio que a unção pegará junto no que for necessário, capacitando Maria Amélia para exercer a função de diretora. Também será um tempo no qual poderemos investir em pessoas que terminaram o Rhema o ano passado e a Escola de Ministros, bem como também vamos poder auxiliar mais na igreja Monte Horebe, ajudando o Pr. Zambo em alguns dos departamentos da igreja.  

veja também