Missionário idoso que resgatou centenas de pessoas na Coreia do Norte quer voltar ao campo

Centenas de refugiados norte-coreanos devem suas vidas ao pastor Yoon, que se arriscou para ajudar famílias inteiras.

fonte: Guiame, com informações do Christian Headlines

Atualizado: Segunda-feira, 28 Outubro de 2019 as 11:25

Pastor John Yoon, em sua cerimônia de aposentadoria em Lynnwood. (Foto: Gabriel Spitzer / KNKX)
Pastor John Yoon, em sua cerimônia de aposentadoria em Lynnwood. (Foto: Gabriel Spitzer / KNKX)

O missionário John Yoon, de 81 anos de idade, que resgatou centenas de norte-coreanos e lhes pregou as Boas Novas de Cristo, disse que deseja voltar ao país, mesmo estando aposentado e fisicamente frágil.

"Quero ajudá-los mais", disse pastor idoso ao KNKX durante sua cerimônia de aposentadoria na igreja New Vision, em Lynnwood, Washington.

Yoon nasceu na área que hoje é a Coreia do Norte e tinha 12 anos quando a Guerra da Coreia estourou na década de 1950. Ele fugiu para o sul, mas se separou dos pais e nunca mais os viu.

Na Coreia do Sul, ele trabalhou e se juntou às forças armadas. E então ele teve uma experiência transformadora em um lugar chamado Monte Yongmun, em uma casa de oração construída dentro da montanha. Yoon foi, ele diz, para ver se Deus era real.

Ele contou que uma noite, enquanto orava, do céu o “fogo do Espírito caiu nas minhas costas; ele estava sobre mim, estava me queimando. Naquele momento, eu realmente sabia que Deus estava vivo.”

Chamado missionário

Yoon se tornou um missionário, servindo primeiro na Rússia e na China antes de ouvir sobre as necessidades da Coreia do Norte, onde o cristianismo é ilegal.

Na Coreia do Norte, ele se tornou condutor da ferrovia subterrânea norte-coreana. Graças a essa atividade, ele ajudaria a transportar grupos de refugiados da região fronteiriça para a China e depois para um país neutro, como Tailândia ou Mongólia.

Era um mundo de altos riscos de informantes, traficantes e aliados obscuros que se revelavam inimigos.

Tal ação era perigosa para ele - poderia ser preso - e para os desertores, que poderiam ser executados.

Prisão

Uma vez, o pastor Yoon quase foi preso e teve que fugir para os Estados Unidos, onde mudou seu nome e passaporte antes de retornar à fronteira entre a Coreia do Norte e a China. Outra vez - em 2005 - ele foi pego e passou 15 meses em uma prisão chinesa. As autoridades americanas o ajudaram a libertá-lo e ele retornou aos EUA, onde agora mora.

Durante suas várias décadas ao longo da fronteira, ele ajudou a salvar pelo menos 300 desertores norte-coreanos de um regime brutal. Entre elas, uma jovem de 11 anos chamada Grace Jo, que foi capturada, junto com sua família, quando tentaram escapar.

"Depois que fui mandado de volta para a Coreia do Norte, fui presa primeiro e depois fui mandada de volta para um abrigo de orfanato", disse Grace Jo.

“Vi muitas crianças lutando, morrendo de fome, sendo espancadas pelas crianças mais velhas. Todas aquelas crianças feridas estavam escondidas no canto e cobertas com cobertores. E quando vi que me senti tão triste. Como esse país pode ser o meu país?”, relatou.

Yoon, que estava tentando ajudar a família, subornou autoridades norte-coreanas para libertá-las. Ele pagou US$ 10.000 por elas.

Grace Jo, agora uma adulta, participou da celebração da aposentadoria de Yoon.

"Acho que o milagre de Deus aconteceu lá", disse Grace Jo à KNKX. "Conseguimos atravessar o rio novamente."

Grace Yi, a filha do pastor Yoon disse que ele retornaria à região, se pudesse.

"Ele é fisicamente incapaz de continuar", disse Yi. "Ele está com o coração partido por ter conseguido salvar apenas 300, mas ainda há muitos na Coreia do Norte que precisam de ajuda".

Homenagem

O santuário da igreja estava cheio de congregantes e um contingente de 28 desertores norte-coreanos, incluindo Jo, sua mãe e outros cujas vidas foram salvas por Yoon.

Outros missionários e pastores que ofereceram sinceros testemunhos de suas realizações - especialmente os mais de 300 refugiados que ele resgatou e as inúmeras almas que eles acreditam que ele salvou ao espalhar o Evangelho. Além de uma refeição no evento, um coral de refugiados totalmente norte-coreano se apresentou aos convidados.

O pastor Yoon ficou visivelmente emocionado com as pessoas levaram de buquês e placas até ele.

"Quero ajudá-los mais", disse ele. "Como sou fisicamente incapaz de fazê-lo, sinto muitíssimo. Até os dias atuais, estou sempre pensando em maneiras de salvar aqueles que estão morrendo. Estou sempre pensando em maneiras de salvá-los."

veja também