Missionários norte-americanos são feridos em explosão de Uganda

Missionários norte-americanos são feridos em explosão de Uganda

Atualizado: Quarta-feira, 14 Julho de 2010 as 1:10

Um grupo de missionários Norte-americanos, estava entre os feridos nos atentados em Uganda na noite de domingo que deixou pelo menos 74 mortos, segundo relatos.

Orações são atualmente ofertadas para a equipe de seis Comunidade de Cristo Igreja Metodista Unida em Selinsgrove, Pensilvânia - cinco dos quais sofreram ferimentos graves que requerem cirurgia.

"Emily e Joanne Kerstetter deveriam estar em um centro de trauma, em Joanesburgo, África do Sul, pelas nove horas na noite de ontem," informou os membros da Igreja em seu blog Missão Uganda.

Outro membro, Kris, entretanto, está sendo tratado por um médico do Quênia.

"[O médico] disse que Kris não tem uma fratura, mas uma perna quebrada com uma ferida muito profunda da explosão e estilhaços," relatou a Igreja. "Ele têm ferimentos faciais da explosão, com algumas queimaduras e o médico sente que seu olho estará ok, mas o olho está inchado fechado com estilhaços em torno dele. Graças a Deus ele usa óculos!"

"Orem para que todos os membros recebam o tratamento de que necessitam e se recuperem totalmente," escreveu a Igreja antes de concluir.

Segundo relatos, bombas explodiram em dois locais na capital de Uganda, Kampala, na noite de domingo quando as pessoas assistiam à final da Copa na TV. Uma das bombas explodiu em um restaurante etíope. A segunda explosão foi fora em um restaurante chamado Kyadondo Rugby Club.

O chefe da polícia, Kampala Kale Kaihura, disse acreditar que a milícia mais temida da Somália - al-Shabab, que prometeu lealdade à Al-Qaida - poderia estar por trás dos ataques.

Apesar de um comandante da Al-Shabab em Mogadíscio ter se recusado a confirmar ou negar o papel do grupo nos atentados, ele disse à Associated Press, segunda-feira, que ele estava feliz com os ataques.

"Uganda é um dos nossos inimigos. O que os faz chorar, nos faz feliz," teria dito Sheik.

"Deixe a raiva de Allah ser sobre aqueles que estão contra nós," acrescentou.

Se al-Shabab foi responsável pelos atentados, seria a primeira vez que o grupo realizara ataques fora da Somália.

No domingo, o porta-voz Tommy Vietor disse que os Estados Unidos estavam preparados para prestar toda a assistência necessária para o governo de Uganda.

"O presidente está profundamente entristecido pela perda de vidas humanas resultantes desses atentados lamentáveis e covardes, e envia as suas condolências ao povo do Uganda e os entes queridos daqueles que foram mortos ou feridos," disse Vietor.

veja também