Missionários são revistados pela polícia na Cracolândia, em SP

Missionários são revistados pela polícia na Cracolândia, em SP

Atualizado: Quarta-feira, 5 Agosto de 2009 as 12

Depois de um dia de trabalho no Jardim Dracena/SP, os missionários pastor Fernando e Ivanete Leiros, acompanhados dos irmãos Alexandre, Artur e Jean, voltando do terminal rodoviário onde haviam ido comprar a passagem de retorno de um dos voluntários, passaram de carro pela região da Cracolândia, para conhecer o local. Ao chegar à região, entraram em uma rua que era contramão e havia policiais logo adiante. "Fomos interceptados e postos para fora do carro como se fôssemos suspeitos (nada fora do padrão). Até porque, dada a hora (22h15), cinco elementos dentro de um carro preto, com os vidros filmados e na Cracolândia, qualquer um de nós teria a mesma reação", contou pastor Fernando.

Saíram do carro com as mãos na cabeça e começaram a ser revistados. Enquanto isso a missionária Ivanete começou a conversar com o comandante da patrulha que começou a ouvir com reservas suas explicações. Um diálogo se estabeleceu e a missionária, apoiada pelos demais, explicou que eram missionários de uma organização não governamental, da igreja batista; mostrou o Evangelho de João, apresentando-o como o material que distribuíam e estudavam com os que desejassem. O policial se interessou, quis saber o que faziam, como era o trabalho e pediu um exemplar para ele. A missionária explicou que o trabalho consistia em levar a palavra de Deus às pessoas desamparadas, fazê-las conhecer Jesus e o receberem como Salvador de suas vidas. A desconfiança se dissipou e o policial, que havia assumido pela primeira vez o comando da região, compartilhou que cria na possibilidade de mudanças para aquelas vidas e para a região, embora outros policiais não tenham a mesma crença.

Com alegria, pediu à missionária que fizesse uma dedicatória para ele no evangelho de João, enquanto o missionário voluntário Jean explicava sobre os seis passos de como ter a paz com Deus.  O policial ficou tão espantado e animado com este tipo de trabalho que, declarou o seguinte: "Sou católico de nome! Só vou à igreja em casamentos e batizados, quando vou! Mas creio que este tipo de trabalho tem como dar resultados. É difícil ver gente assim com este pensamento. Vou falar com o meu comandante, para ver em que nós podemos ajudar vocês. Quem sabe a gente consegue melhorar isto aqui?!" Pediu para tirar uma foto do grupo com ele "para mostrar na corporação, para o seu comando, quem são vocês, o que vocês fazem e como é o tipo de trabalho".

O Pastor Fernando ainda convidou os policiais para o culto da vitória na 1ª IB em São Paulo, no próximo sábado. O grupo orou por eles e se despediu.

Postado por: Felipe Pinheiro

veja também