Missões Mundias realiza congresso para vocacionados

Missões Mundias realiza congresso para vocacionados

Atualizado: Segunda-feira, 23 Agosto de 2010 as 11:36

Com o objetivo de orientar e aprimorar cada vocacionado na convicção de seu chamado, a Ordem dos Pastores Batistas do Brasil (OPBB) realizou, entre 20 e 22 de agosto, no Colégio Batista Mineiro, em Belo Horizonte/MG, o 1o Congresso de Vocacionados. Sob o tema "Convictos, Engajados!", o evento contou com a presença de cerca de 200 vocacionados vindos de várias regiões do Brasil. Além de apoiar oficialmente o congresso, Missões Mundiais participou efetivamente com seu estande, nas plenárias com a mensagem do Pr. Marcos Grava, coordenador do Programa Esportivo Missionário (PEM) e do setor de Voluntários, e nas oficinas com a palestra de Érica Lopes, da coordenação do Projeto Radical – Voluntários Sem Fronteiras.

O Pr. Lécio Dornas, presidente da OPBB, abriu o congresso na sexta-feira com uma palavra de boas-vindas e de incentivo aos vocacionados. O Pr. Juracy Bahia, diretor executivo da Ordem, ressaltou a importância da realização do evento como ferramenta de direcionamento dos vocacionados nos ministérios pastoral, missionário, de música ou ação social.

Outros preletores impactaram os congressistas com seus testemunhos de chamado, de descobertas vocacionais e momentos marcantes na caminhadas ministeriais. O Pr. Éber Silva, da 2a IB de Campos/RJ, e Jonair Monteiro, com mais de 50 anos de experiência pastoral no campo batista mineiro. A irmã Margarida Lemos, da UFMBB, contou fatos marcantes de sua vida enquanto vocacionada ao ministério de educação religiosa.

Oficinas de interesse aconteceram entre os períodos de mensagens. Os congressistas puderam escolher entre ministério pastoral, missionário, de música ou ação social. A JMM teve a oportunidade de dirigir duas oficinas, uma no sábado à tarde e outra no domingo pela manhã, e apresentou para os cerca de 40 interessados os desafios do Projeto Radical, do Programa Esportivo Missionário e a caravana que seguirá para o Haiti em outubro. O Pr. Alexandre Peixoto, um dos representantes da JMM para Minas Gerais, deu seu breve testemunho de viagem àquele país e desafiou outros a fazerem o mesmo.

Na opinião de vários vocacionados, o congresso foi uma excelente oportunidade para aprimoramento e confirmação de convicções de chamada. Para Cleudair Godoi, seminarista do curso de Formação Integral do Seminário Batista do Sul, no Rio de Janeiro/RJ, vocacionado para missões mundiais, o evento reafirmou convicções. "O congresso clarificou a certeza do sentido de meu chamado ao ministério da Palavra, do porque estou fazendo Teologia e relembrou os desafios do campo missionário. Em resumo, foi uma excelente oportunidade de crescimentohttp://www.jmm.org.br", disse.

Para Valquíria Borges, seminarista da Faculdade Batista Mineira, em Belo Horizonte/MG, que seguirá para Moçambique como voluntária ainda este ano (ela está levantando recursos junto às igrejas), o congresso foi importante para confirmar o chamado de Deus sobre sua vida, que é servi-Lo no campo transcultural. "Senti que o Senhor estava confirmando meu chamado. Estar aqui, hoje, e perceber que tudo que vivi e acumulei como experiências de vida serão usados por Deus e para a Sua glória no campo missionário", afirmou.

Ao final do congresso, o Pr. Juracy Bahia fez um apelo para que uma oferta fosse levantada para apoiar a ida de uma médica na caravana que segue ao Haiti, em outubro, e também para ajudar um casal missionário da JMM. Vários irmãos, sensibilizados, foram à frente e entregaram suas ofertas de amor. O diretor executivo da OPBB agradeceu a participação de cada vocacionado e das organizações da CBB que apoiaram o 1o congresso, ressaltando que o evento foi a primeira ação para conscientizar os futuros líderes da denominação da responsabilidade e da paixão que o ministério exige de cada um. "Esperamos que, a cada ano, as OPBB regionais organizem outros congressos, nos mesmos moldes, para manter cada vocacionado conectado com esta visão que foi compartilhada aqui, ou seja, de um ministério mais apaixonante e menos profissional", encerra o Pr Juracy Bahia.

veja também