Missões Nacionais e Missões Mundiais juntas por Cristo Jesus

Missões Nacionais e Missões Mundiais juntas por Cristo Jesus

Atualizado: Quarta-feira, 26 Janeiro de 2011 as 4:19

Na última segunda, dia 24 de janeiro, a 91ª Assembleia da Convenção Batista Brasileira (CBB) teve um de seus momentos mais marcantes, a Noite de Missões, na qual as duas organizações missionárias dos batistas brasileiros demonstraram claramente que estão juntas por missões.

O culto começou com uma grande celebração, com muita música e dança em celebração ao nome de Deus.

Porém, logo depois os presentes começaram a ser desafiados, primeiro pelo diretor executivo da Junta de Missões Nacionais, pastor Fernando Brandão, que afirmou: “A obra missionária no Brasil tem sido um desafio permanente”.

Depois o desafio veio por meio do lançamento oficial da nova campanha da Junta de Missões Mundiais, cujo tema é “Eles também precisam da graça do Pai” e que é voltado para os povos não alcançados, entre os quais, segundo o gerente de comunicação da organização, pastor Luiz Cláudio Marteletto, se destacam os muçulmanos. “Devemos olhar para estes povos com o coração de Deus, entendendo que Jesus também morreu por eles”, declarou.

Testemunhos missionários Veio então o momento dos testemunhos, no qual os presentes puderam ver os frutos da obra missionária em todas as partes do Brasil e do mundo.

“Temos avançado em todas as partes do Brasil, mas hoje vamos trazer testemunhos, mas não de missionários, mas de pessoas que foram resgatadas por Deus”, declarou o pastor Fernando Brandão.

Inicialmente ele convidou a jovem Geisa, que “vivia nas ruas da cracolândia de São Paulo e que foi alcançada pela graça do Senhor Jesus”. O executivo contou a história desta moça, que antes era uma usuária de crack, mas que hoje tem uma nova história. “Agora tenho uma família e um esposo”, declarou a jovem.

O pastor Fernando também compartilhou a alegria proveniente da recuperação do jovem de origem africana chamado Ideraldo, que de usuário de drogas passou a estudante de Direito e Teologia, além de ser um pregador do Evangelho entre os africanos no centro de São Paulo. “Um dia Ideraldo será missionário de Missões Mundiais em vários países da África”, falou o executivo de Missões Nacionais de forma emocionada.

O testemunho de Missões Nacionais terminou com a apresentação daquele que, segundo o pastor Fernando Brandão, é “um dos mais belos coros do Brasil, o coro da Missão Batista Cristolândia”.

E, realmente, ele não estava equivocado, pois os participantes do culto se emocionaram com a participação deste coral, que entoou louvores a Deus com toda a intensidade e espontaneidade.

Depois foi a vez de Missões Mundiais compartilhar um pouco do que Deus tem feito através de seus missionários.

Primeiro, o diretor executivo da Junta de Missões Mundiais, pastor João Marcos Barreto Soares, convidou 30 jovens que estão participando do Radical Latino. “Os países próximos ao Brasil estão sendo contaminados por missões por conta do projeto Radical Latino. Assim, nós, batistas brasileiros, temos uma grande responsabilidade. Os outros povos precisam ver a nossa paixão, para que eles façam o que nos fazemos”, declarou.

Foi proferida então uma oração em favor destes jovens missionários, que atuarão em vários países da América Latina. Logo depois a palavra foi passada para o missionário Caleb, que atua com sua esposa em um país do Oriente Médio.

O missionário iniciou afirmando: “As coisas que vimos nesta noite, o que aconteceu aqui, só acontece pela graça de Deus. Nenhum de nós estaria aqui nesta noite se não fosse pela graça”.

A partir deste diagnóstico, o obreiro disse: “Enquanto você é impactado por esta graça imerecida, muitos povos não sabem desta graça proveniente do sacrifício de Jesus”.

Caleb compartilhou então os desafios de pregar o Evangelho em meio aos muçulmanos, em um contexto de grandes restrições. Contudo, ele também testemunhou as vitórias obtidas na proclamação do Evangelho.

Ao final de sua palavra ele falou do difícil contexto no qual atua, em que, “de cada 100 missionários, menos de 2 chegam aos povos muçulmanos”.

Atendendo ao chamado Veio então o momento do desafio missionário, no qual os dois executivos demonstraram de forma clara a fina sintonia que Missões Nacionais e Missões Mundiais vivem atualmente.

O pastor João Marcos começou afirmando que Missões Mundias “precisa apenas de 300 missionários nos próximos 3 anos”. Prontamente, o pastor Fernando Brandão respondeu: “Eu também queria 300 para plantar uma igreja em cada bairro do Brasil”. Então, os dois lançaram um desafio conjunto aos presentes, um desafio por mais obreiros. “Pergunte para Deus: Senhor, o que queres de mim? Onde queres que eu te sirva?”, afirmou o pastor João Marcos.

Os dois executivos oraram em conjunto, e pediram a Deus que houvesse o despertamento de mais missionários na geração atual. Perguntaram então em conjunto: “Vamos recuar ou avançar?”. E o público respondeu em conjunto: “Avançar!”.

Eles fizeram então o convite para que aqueles que haviam tomado a decisão de dedicar sua vida para a obra missionária que viessem à frente para participarem de um momento de oração conduzido pelo pastor Ebenézer Soares Ferreira.

Uma parceria preciosa Terminou desta forma o culto da Noite de Missões. Porém, o que não chegou ao fim foi a animação. “Estou entusiasmado com a reação das pessoas e com o que Deus falou aos nossos corações”, declarou o pastor João Marcos.

Já o pastor Fernando Brandão afirmou que “é indescritível ver a alegria do povo batista celebrando missões, ver a alegria do povo batista dizendo para todos que é necessário avançar, ver a alegria do povo batista dizendo que  não podemos recuar”.

Também foi motivo de alegria a parceria firmada entre Missões Nacionais e Missões Mundiais, como afirmou o executivo de Missões Nacionais: “Estou muito emocionado e feliz em ver a junta de Missões Nacionais e a Junta de Missões Mundiais em conjunto fazendo missões e caminhando para conquistar a pátria e o mundo para Jesus”.

Opinião semelhante tem o executivo de Missões Mundiais: “Esta parceria representa muita coisa. Como é bom ter duas equipes formando um time, como é bom ver o pastor Fernando Brandão, que é uma inspiração para mim. Este ambiente, que não é de competição, mas é de ânimo mútuo, só faz bem”.  

veja também