Missões Nacionais investe em aproximação com seminaristas

Missões Nacionais investe em aproximação com seminaristas

Atualizado: Sexta-feira, 1 Outubro de 2010 as 8:35

No mês de setembro, Missões Nacionais realizou grandes ações de mobilização de seminaristas, levando os desafios do campo aos que estão se preparando para ocupar posições estratégicas no Reino.

No Rio de Janeiro, os encontros com seminaristas aconteceram em cinco instituições teológicas. São elas: Seminário Teológico de São Gonçalo, Seminário Teológico de Niterói, Seminário Teológico Betel, Seminário Teológico Batista do Sul do Brasil e Seminário Teológico Guenther Krieger.

Missionários e pastores da sede participaram dos encontros, mostrando aos alunos o potencial de obreiros que as instituições formam a cada ano. O diretor executivo de Missões Nacionais, pr. Fernando Brandão, em mensagem pregada no dia 27 de setembro, a cerca de 120 alunos do Seminário Teológico Batista do Sul do Brasil, mostrou a necessidade da Igreja de ser luz nas trevas. Tomando como exemplo o trabalho da Missão Batista Cristolândia, na cracolândia paulista, disse: "A igreja do Senhor Jesus foi enviada para o campo e ela precisa ter cheiro de campo, mas a igreja está com cheiro de domingo".

Expandindo a visão ministerial dos presentes, pr. Fernando lançou mais um desafio: a implantação de um trabalho na BR 153 (Belém-Brasília), onde há grande prostituição infantil. Defendendo a atuação da igreja como resposta para as mazelas do povo, acrescentou:  "Essa nação não será verdadeiramente feliz enquanto estiverem milhares de pessoas na sarjeta e nós somos a resposta. A resposta está na igreja, mas não no que ela faz dentro da igreja e sim no que ela deve fazer do lado de fora".

Ao findar sua palavra, o diretor executivo da JMN convocou a todos que se sentiam incomodados pelo Senhor que orassem, rendendo-se ao chamado missionário. Com isso, 14 pessoas assumiram o compromisso de dedicarem suas vidas à expansão do evangelho nos campos.

Para o seminarista Thiago Sampaio, um dos que aceitaram o desafio missionário, os encontros promovidos por Missões Nacionais são importantes para "quebrar o paradigma de que para Missões se precisa ter um dom". Com a tomada de decisão, Thiago será um dos que receberão um acompanhamento especial da JMN, tais como incentivo a participação em projetos missionários, estágios no campo, entre outras programações.

No mês de setembro, Missões Nacionais realizou grandes ações de mobilização de seminaristas, levando os desafios do campo aos que estão se preparando para ocupar posições estratégicas no Reino.

No Rio de Janeiro, os encontros com seminaristas aconteceram em cinco instituições teológicas. São elas: Seminário Teológico de São Gonçalo, Seminário Teológico de Niterói, Seminário Teológico Betel, Seminário Teológico Batista do Sul do Brasil e Seminário Teológico Guenther Krieger.

Missionários e pastores da sede participaram dos encontros, mostrando aos alunos o potencial de obreiros que as instituições formam a cada ano. O diretor executivo de Missões Nacionais, pr. Fernando Brandão, em mensagem pregada no dia 27 de setembro, a cerca de 120 alunos do Seminário Teológico Batista do Sul do Brasil, mostrou a necessidade da Igreja de ser luz nas trevas. Tomando como exemplo o trabalho da Missão Batista Cristolândia, na cracolândia paulista, disse: "A igreja do Senhor Jesus foi enviada para o campo e ela precisa ter cheiro de campo, mas a igreja está com cheiro de domingo".

Expandindo a visão ministerial dos presentes, pr. Fernando lançou mais um desafio: a implantação de um trabalho na BR 153 (Belém-Brasília), onde há grande prostituição infantil. Defendendo a atuação da igreja como resposta para as mazelas do povo, acrescentou:  "Essa nação não será verdadeiramente feliz enquanto estiverem milhares de pessoas na sarjeta e nós somos a resposta. A resposta está na igreja, mas não no que ela faz dentro da igreja e sim no que ela deve fazer do lado de fora".

Ao findar sua palavra, o diretor executivo da JMN convocou a todos que se sentiam incomodados pelo Senhor que orassem, rendendo-se ao chamado missionário. Com isso, 14 pessoas assumiram o compromisso de dedicarem suas vidas à expansão do evangelho nos campos.

Para o seminarista Thiago Sampaio, um dos que aceitaram o desafio missionário, os encontros promovidos por Missões Nacionais são importantes para "quebrar o paradigma de que para Missões se precisa ter um dom". Com a tomada de decisão, Thiago será um dos que receberão um acompanhamento especial da JMN, tais como incentivo a participação em projetos missionários, estágios no campo, entre outras programações.

veja também