Mutirão de Natal do Unasp arrecada quase 137 toneladas de alimentos

Mutirão de Natal do Unasp arrecada quase 137 toneladas de alimentos

Atualizado: Sexta-feira, 9 Dezembro de 2011 as 3:10

A última edição do Mutirão de Natal da igreja do Centro Universitário Adventista de São Paulo, campus Engenheiro Coelho, conseguiu recolher 136.812 quilos de alimentos e ultrapassar o alvo inicial de 70 toneladas. O encerramento, ocorrido 3 de dezembro, contou com a presença da comunidade e dos alunos do Unasp. Estiveram presentes também personalidades que apoiaram o projeto como, por exemplo, o ex-jogador da seleção brasileira, Cafu, o músico Matheus Herriez, o jornalista e comentarista esportivo Flávio Prado, entre demais autoridades e empresários que aderiram à iniciativa.

Há 18 anos o Mutirão de Natal envolve milhares de pessoas em torno de uma gincana beneficente. Três equipes competiram com o objetivo de arrecadar a maior quantidade de doações. Os estudantes do nível básico composto pelo ensino infantil, fundamental e médio integravam a equipe azul. Já a vermelha era composta por estudantes universitários. Os moradores da comunidade do Unasp formavam a equipe amarela. Para Sidney Dutra, coordenador do Mutirão de Natal do Unasp, o resultado só foi possível devido à grande participação das equipes. “É uma conjunção de esforços, eu diria, todas as equipes trabalharam, mas principalmente agradecer a cada criança, jovem, adulto e idoso que recolheu o seu quilo e que trouxe aqui. Foi o que deu essas 136 toneladas”, afirma.

Cada uma das equipes tinha a função de mobilizar esforços para recolhimento de donativos, mas, além disso, no encerramento do programa, elas tinham a responsabilidade de apresentar uma peça teatral de 15 minutos e uma música composta especialmente para o evento.  Os requisitos foram avaliados pelo corpo de jurados, entre eles, Flávio Prado e Cafu. O ex-capitão da seleção brasileira justifica a motivação para projetos como o Mutirão de Natal. “É o prazer de ajudar as pessoas que não tiveram tanta oportunidade como nós tivemos”, ressalta.

Para Flávio Prado, o Mutirão de Natal aproxima as pessoas através de uma causa solidária. “Procurar ter uma visão de auxílio ao próximo é fundamental, não é simplesmente pra você querer as coisas pra você, eu acho que o mundo vale por você usufruir e dividir e o mutirão é um exemplo muito forte disso. É aquela coisa, todo mundo quer ajudar se alguém ascender a faísca a fogueira fica grande”, reflete.

A estudante Flávia Assunção, aluna do curso Engenharia Civil, aderiu à iniciativa junto ao seu grupo de amigos e participou diretamente da campanha, saindo às ruas e supermercados recolhendo doações. “Foi gratificante para mim, porque eu me senti útil em poder ajudar as pessoas”, conta.

Durante a cerimônia, Cafu explicou que os estereótipos existentes em torno da população mais carente dificultam o acesso delas às oportunidades. “Não é verdade que todo favelado é burro, que todo favelado é ignorante, que toda pessoa que mora na periferia é ignorante, é ladrão. Mentira! O que falta para nós, da periferia, é oportunidade”, enfatizou.

Através da Fundação Cafu o ex-jogador procura promover a formação inclusiva para as crianças do bairro Jardim Irene, comunidade onde passou a infância. “Se tem duas coisas que realmente tiram as crianças da rua hoje e dão uma direção é a igreja e o esporte. Nós estamos seguindo a estrada justa e dando uma direção a mais para essas crianças que tanto precisam”, ressaltou.

Flávia observou a disposição das pessoas com quem entrou em contato durante a campanha. Para ela foi possível notar diferentes reações.  “Tem aquelas que ajudam facilmente, mas tem sempre quem antes pergunte para onde vai a doação”, lembra.

Do total arrecadado, 10 toneladas de alimento serão destinadas à Fundação Cafu, que fará a distribuição entre as famílias das crianças que participam do projeto. Após a cerimônia de encerramento, uma partida de futebol entre a equipe composta por amigos do ex-jogador Cafu contra o time do Unasp finalizou, de forma festiva, as atividades do Mutirão de Natal 2011.

FOnte: [Equipe ASN, Murilo Bernardo]

veja também