O amor de Deus pelas crianças e adolescentes em situação de risco

O amor de Deus pelas crianças e adolescentes em situação de risco

Atualizado: Quinta-feira, 24 Setembro de 2009 as 12

Jesus Cristo, a plena encarnação do amor de Deus, encerra o seu sermão profético identificando-se de forma empática com o faminto, o sedento, o estrangeiro, o desnudo, o enfermo e o cativo (Mt 25:35-37). Ele disse claramente aos seus ouvintes que no futuro como Rei glorioso ele diria às suas ovelhas: vocês supriram as minhas necessidades. As ovelhas de Jesus perguntariam a ele, em que ocasião o alimentamos sua fome, mitigamos sua sede, vestimos.

Sua nudez hospeda-te como estrangeiro e visitamos-te em sua enfermidade? Então Jesus responderia: "quando fizestes a um destes meus pequeninos (significa os inferiores de uma sociedade) irmãos, a mim o fizestes (MT 25:40)".

Eu creio que hoje Jesus Cristo, vivo e ressuscitado, olha para o planeta terra, especialmente para o dito "terceiro mundo" com o mesmo olhar empático focalizado na pobreza, na falta de saneamento básico, no desemprego, na exclusão social que pavimentam o caminho dessas crianças e adolescentes em situação de risco. Quem mora de forma precária ou não tem onde morar é estrangeiro na terra e precisa ser hospedado. Quem fica muito aquém do vitimado pela desnutrição precisa ser alimentado. Quem caminha na vida aprofundando carências e enfermidades de toda ordem, precisa ser visitado. Quem vai se enveredando por todo tipo de catividade, por conta de falta de desestrutura familiar e traumas provenientes de abusos (físicos, emocionais ou sexuais) familiares, associados à exposição à violência, maus tratos ou negligência, esse precisa ser visitado. Quem tem como única perspectiva de sobrevivência vender balas nos faróis, esmolar ou ser "aviãozinho" de traficantes, precisa ser suprido em sua sede existencial.

A proposta de Jesus Cristo ressuscitado continua viva nos dias de hoje: façam a eles e estarão fazendo a mim. Vivam uma vida cristã autêntica, presente e persuasiva para que o evangelho lhes empreste a dignidade à altura de tudo o que conquistei para eles na cruz, para que não busquem em fonte errada aquilo que somente Deus lhe poderia dar.

Assim, é que somos desafiados a sermos com "pequeninos Cristos" o coração, a voz, o braço, o colo, o ombro, os olhos e ouvidos de Deus em favor desses "pequeninos" com os quais Jesus se identificou desde sua presença na terra. Deus espera de sua Igreja voz profética, que promova mudanças estruturais na sociedade, bem como serviço altruísta como expressão concreta da fé, vinculado a uma mudança radical no indivíduo, a partir de um encontro real com Jesus em nós...

"Levanta-te, clama de noite no princípio das vigílias; derrama o teu coração como águas diante da face do Senhor; levanta a eles as tuas as mãos, pela vida de teus filhinhos, que desfalecem de fome (espiritual, emocional e física) à entrada de todas as ruas". Lm 2:19

Postado por: Felipe Pinheiro

veja também