O Haiti clama por salvação

O Haiti clama por salvação

Atualizado: Sexta-feira, 17 Julho de 2009 as 12

Nos meses de junho e julho um grupo de 40 irmãos, composto de 27 mulheres e 13 homens, esteve no Haiti. Eles – membros de várias igrejas – fizeram parte da caravana “Brasil e Haiti: Unidos por uma nova nação”. Este é mais um projeto desenvolvido por Missões Mundiais, que esteve sob a coordenação dos pastores Mayrinkellison Wanderley (Coordenador de Missões da JMM) e Marcos Grava (Coordenador do PEM – Programa Esportivo Missionário).

Os batistas brasileiros mantêm, através de Missões Mundiais, seis missionários da terra no Haiti que têm realizado um profícuo trabalho naquela nação tão carente física e espiritualmente. ''Nós precisamos investir mais no Seminário Batista existente no país e no trabalho que as igrejas locais desenvolve'', explica o Pr. Mayrinkellison. Assim, Missões Mundiais enviou mais essa caravana ao Haiti, que foi composta por médicos, dentistas, pastores, missionários, enfermeiras, vários professores, secretárias, empresário, engenheiro, esteticista, nutricionista, turismóloga, recepcionista, assistente comercial, militar e estudantes de várias áreas.

Missão cumprida

O último boletim, enviado pela liderança da equipe de voluntários que esteve no Haiti informa sobre as inúmeras bênçãos recebidas naquele país onde os voluntários viveram experiências que os fizeram crescer e se unirem ainda mais como Corpo de Cristo. O grupo viveu um tempo difícil naquele campo, devido ao cansaço acumulado, mas o Senhor operou na vida de cada componente da caravana.

Nos últimos dois dias, que ali passaram, os voluntários contaram com o maior número de crianças presentes; cerca de 450 crianças participaram dos KidsGames. Foi nesse período, também, que eles prestaram mais atendimentos médicos e dentários. Mais de 250 pessoas foram atendidas pelos nossos voluntários e 200 receberam tratamento odontológico. “Não tínhamos muitos recursos e, em muitas vezes, não podíamos fazer nada; mas Deus nos levantou para orar, para interceder e para nos mostrar que, sem Ele, nós não somos nada”, diz uma voluntária.

Outro testemunho que marcou muito a vida de cada voluntário, foi o de uma dentista voluntária que, com apenas o cabo de uma escova, removeu três raízes de dente de uma pequena menina, sem anestesia e em situação de emergência, pois certamente seriam focos de infecção futura. Ao final, a dentista ouviu da mãe da menina que durante a noite anterior ela teve um sonho, e Deus lhe mostrava neste sonho que uma médica e uma dentista viriam cuidar de sua filha.

Depois de tantas experiências profissionais, ministeriais e espirituais, e de se sentirem usados por Deus no Haiti, os voluntários voltam para casa com o coração partido, mas muito felizes por saber que cumpriram aquilo que o Pai lhes ordenou. O sentimento e desejo de cada um deles é de querer fazer mais e continuar evangelizando os não-alcançados e perdidos. Foi assim que, através de suas vidas e testemunhos, eles contagiaram outros irmãos a cumprir também o “Ide” de Jesus.

veja também