O mundo espera uma resposta - Coluna Sérgio Dias

O mundo espera uma resposta - Coluna Sérgio Dias

Atualizado: Quarta-feira, 7 Janeiro de 2009 as 12

Ultimamente venho me perguntando sobre as respostas que a igreja de Cristo (seja ela de qual denominação for, porém sendo especificamente evangélica) tem dado ao mundo e seus mais variados questionamentos. O ponto aqui não é falar de pecado. Ora, pecado é pecado e ponto final. Um exemplo: a igreja tem mais é que se posicionar contrariamente à questão do homossexualismo mesmo e ponto final.

Entretanto, meus pensamentos vão mais além de um mero debate sobre opções sexuais. Na verdade, quero me deter na questão das respostas aos anseios da alma humana, às respostas dadas pela igreja nos quesitos morais e éticos, hoje totalmente deturpados na sociedade.

Tenho visto, com tristeza, uma geração de pseudo-crentes que, de posse de um vocabulário próprio do tipo "evangeliquês", não consegue dar uma resposta inteligente às dúvidas do mundo sobre as questões da humanidade, sejam elas das mais banais as mais complexas.

Um bom exemplo é a questão da prática cristã. Todo cristão deveria (é, deveria...) demonstrar o amor de Cristo refletido em sua vida nas mais variadas ocasiões onde for confrontado por esta realidade. Isso é mais do que testemunhar; é praticar missões com sua própria vida! Então, por quê, pergunto, alguns crentes têm mais facilidade em amar aos povos não-alcançados, como árabes do Oriente Médio ou persas do Irã, do que seu irmão na igreja? Ou mais, do que seu filho em casa. Indo mais longe: um marido ou esposa que não é crente?

A resposta é simples e dolorida: porque praticar é, e sempre será, mais difícil do que falar. Muitas dessas pessoas vivem falando o tal do vocabulário evangeliquês, tipo "tá amarrado" ou "sou mais que vencedor", mas adora conspirar contra irmãos na igreja ou contra o seu pastor. Sabem o por quê? Porque são ensinados a não pensarem e apenas absorverem as frases prontas, os jargões de "poder" (que poder?). Aliás, poder é o que esses caras têm. E muito! Movidos pela ganância, manipulam e aprisionam a mente dos incautos com suas "mensagens de poder" e que, na verdade dos fatos, impõe sobre os crentes um fardo que Jesus jamais colocou sobre seus ombros! O que eles querem é manobrar a massa, com suas frases de efeito, para atenderem seus interesses.

Isso tem gerado pessoas nessas igrejas que simplesmente não possuem respostas para questões simples como ética ou valores morais. Tá cheio de crentes metidos com politicagem, com dinheiro ilícito, vendo as coisas erradas acontecerem e nada fazendo para mudarem o quadro. Tá "assim" de crentes, cheios do evangeliquês, que joga papel na rua, latas de refrigerantes nas calçadas, faz "gatonet" ou "gatolight", fala mal de vizinhos, conspira contra pastores, "ora contra", passa cheques sem-fundos...

E o pior é que as respostas que essas pessoas transmitem ao mundo são as mesmas que vemos nos políticos, na polícia, nos flanelinhas, no futebol, na sociedade em geral. O povo está cansado de ver as mesmas infrações cometidas. Só que de onde deveria vir a resposta de esperança está vindo a mesma e suja resposta.

Creio que o funil, a cada dia, está apertando. A volta de Jesus é iminente. Pode até não ser na minha geração. Ou talvez na de meu filho. Pode ser que, infelizmente, a iniqüidade se multiplique a tal ponto que seja insuportável viver num mundo tão corrupto e sem respostas de esperança. Mas se olharmos para a palavra de Deus, a Bíblia Sagrada, encontraremos as respostas de esperança que tanto procuramos e de o mundo tanto precisa.

Eu creio, firmemente, que ainda há esperança. Que há milhares de crentes sérios, comprometidos, que dão testemunho de vida na sociedade corrupta. Que fazem a diferença num mundo cada vez mais indiferente. Eu creio que as palavras de Jesus estão mais vivas do que nunca nos últimos dias: "Em verdade, em verdade vos digo que, se alguém guardar a minha palavra, nunca verá a morte" (João 8.51). Que palavra! Quanta esperança nela contida! Guardar a palavra de Deus é nosso compromisso. E é essa Palavra que dá a resposta de esperança para o mundo de que vale a pena viver dignamente, coerentemente, corretamente.

Minha oração é que Deus nos ajude a dar as respostas corretas ao mundo, dando-lhes a esperança da salvação em Jesus através de atos e menos de luxo ou termos de dicionários de evangeliquês, e que Ele ajude e tenha misericórdia daqueles que respondem aos anseios esperançosos do mundo da mesma forma como o mundo se porta, ou seja, indignamente diante da ética imposta pela Palavra.

Sergio Dias é jornalista, bacharelando em Teologia pelo Seminário Betel (RJ). Atua no mercado de comunicação evangélico há 11 anos. Trabalhou nas rádios Melodia FM e Nossa Rádio FM, nos jornais Palavra e Sports (RJ), em programas de televisão, e atualmente coordena o conteúdo do Portal e da Redação da Junta de Missões Mundiais da CBB.

Para conhecer o blog de Sérgio Dias, CLIQUE AQUI

veja também