Ong está em busca de um lar para os bichinhos

Ong está em busca de um lar para os bichinhos

Atualizado: Quarta-feira, 6 Abril de 2011 as 1:59

São Leopoldo - O Município possui cerca de 5 mil animais abandonados pelas ruas, segundo o diretor do Centro Municipal de Proteção Animal (Cempa), Fábio Almeida. Para tentar minimizar o sofrimento de alguns deles, voluntários protetores de animais se dedicam a buscar um lar para os bichinhos. Um exemplo é o Grupo de Amparo e Defesa dos Animais (Gada) que, com apenas dois anos de criação, já conseguiu novos donos para cerca de 300 cães e gatos. A ONG é formada por voluntários que buscam tirar os animais da rua, na tentativa de dar uma vida melhor a eles. Para isso, segundo a diretora administrativa do Gada, Vanda Mattos, é feita uma feira todos os sábados no Centro.

Exemplo de dedicação Ao todo, dez voluntários participam do Gada, entre eles a estudante de Veterinária Carla Viviane de Souza, 34 anos. Ela fez do pátio da casa onde mora, na Scharlau, um pequeno canil onde vivem atualmente 12 cães e quatro gatos. Todos eles devidamente identificados com nomes e apelidos. "Coloco nome em cada um deles mesmo que não fiquem muito tempo porque acho que é uma questão de dignidade’’, conta ela, que já chegou a acolher cerca de 30 cachorros. Segundo Carla, apesar da intenção da ONG ser de buscar animais nas ruas, muitas pessoas deixam em caixas e sacos de lixo na porta de casa. "Às vezes jogam por cima do muro. Para parar com isso precisei colocar câmeras e uma faixa avisando que é crime ambiental.’’

Aposentada decidiu ser solidária sozinha Existem casos, porém, que não é preciso participar de uma organização para cuidar de cães e gatos abandonados e maltratados. A aposentada Marina Cândido Pereira, 75 anos, por exemplo, transformou a própria casa no bairro Campestre Orpheu em um canil particular. Ali vivem cerca de 350 cachorros e gatos. A criação, porém, já foi assunto de Justiça, já que ex-voluntários pediram ajuda ao Ministério Público (MP) para impedir que ela ficasse responsável pelos animais.

O MP, por sua vez, entrou com ação contra ela e contra a Prefeitura no ano passado. A decisão final pediu um acordo entre as partes, mas, de acordo com o diretor do canil municipal, Fábio Almeida, esse encontro ainda não aconteceu. "Estamos aguardando. A princípio vamos propor visitá-la uma vez por semana para tratar os animais.’’ A aposentada, porém, não aceita o acordo. "Não quero ninguém aqui. Sei cuidar muito bem dos meus animais.’’

veja também