Orações atendidas em Portugal e no Sul da Ásia

Orações atendidas em Portugal e no Sul da Ásia

Atualizado: Quinta-feira, 16 Dezembro de 2010 as 9:58

O Orientador Estratégico Pastoral de Missões Mundiais, que atua no Sul da Ásia e em Portugal, está feliz em compartilhar as bênçãos recebidas para aquelas duas regiões ainda tão afastadas da presença do Senhor.

“Deus tem atendido nossas orações. Sou imensamente grato pelo envolvimento dos batistas brasileiros em mais essa obra”, diz o missionário.

Ele lembra de ter pedido orações para a aquisição de três motos para obreiros no Sul da Ásia que têm percorrido longas distâncias de bicicleta em apoio às comunidades. E se alegra com as ofertas que atenderam a essa necessidade.

Também tem sido atendida a oração por 23 pessoas que fazem um curso de liderança naquela região, a maioria é fruto do trabalho de plantação de 25 igrejas. “Eles já estão completando o quinto e penúltimo livro. Que Deus mostre a cada um o lugar e missão dentro de Seu projeto eterno e, através deles, o Reino cresça”, espera o pastor.

Já em Portugal, a Igreja Batista de Oeiras passou por momentos atribulados em seu ministério pastoral. Mas, graças a Deus, os tempos de bonança voltaram. Após as orações, a igreja já está em vias de escolher um novo obreiro, que é um seminarista em fim de curso. A Igreja de Oeiras é a base da obra missionária e para plantação de duas novas igrejas, no Parque das Nações e em Vila Franca de Xira.

A oração atual é pela reestruturação do trabalho de plantação em Vila Franca de Xira. O trabalho, iniciado com imigrantes brasileiros, passou por dificuldades devido à crise econômica que atingiu o país; vários imigrantes voltaram ao Brasil e outros estão por fazer o mesmo. A expectativa é alcançar os que ficaram, mas esperamos a expansão com os que estão ao alcance dos locais. O tabalho no Parque das Nações, entre os portugueses, tem hoje uma frequência média de 35 pessoas. Neste mês as reuniões começaram a acontecer, regularmente, numa escola.

“É um novo desafio, mas é resultado do desenvolvimento do trabalho e orações”, finaliza.

Por Marcia Pinheiro

veja também