Organização pede mudanças a favor da liberdade religiosa

Organização pede mudanças a favor da liberdade religiosa

Atualizado: Terça-feira, 29 Junho de 2010 as 10:36

A organização Human Rights Watch (HRW) pediu à União Europeia (UE) que pressione o Governo da Indonésia para que adote as reformas legais necessárias em sua administração para aplicar e cumprir os direitos humanos.

O grupo, com sede nos Estados Unidos, fez o requerimento por carta um dia antes de um encontro bilateral entre UE e Indonésia dedicado aos direitos humanos.

"O histórico de Direitos Humanos da Indonésia melhorou muito na última década, mas as reformas foram lentas ou inexistentes em algumas áreas críticas", assegurou Phil Robertson, subdiretor da HRW na Ásia.

Segundo a ONG, os pontos que requerem mais atenção são a liberdade de expressão, a existência de presos políticos, problemas de liberdade religiosa, os direitos das empregadas domésticas, a reforma do Exército e a falta de transparência da administração.

"A UE deve ressaltar a necessidade de (realizar) progressos reais em assuntos nos quais o Governo indonésio varreu para debaixo do tapete", acrescentou Robertson.

A HRW exigiu da UE que se some a seu apelo para que "mais de 100 ativistas de Papua e das ilhas Molucas presos por expressar suas opiniões políticas de forma pacífica" sejam libertados de forma "imediata e incondicional".

Também assinalou a necessidade de retirar todas as leis nacionais e locais que restringem a liberdade religiosa na nação com mais muçulmanos do mundo, mais de 200 milhões de fiéis.

O encontro de hoje, dia 29, é o primeiro centrado nos Direitos Humanos que Indonésia e UE celebrarão dentro de uma mesa permanente de diálogo estabelecida em novembro passado no Acordo Integral de Cooperação bilateral.

"O Governo indonésio fez o correto ao acertar reuniões anuais com a UE. O desafio é realizar progressos reais e acertar passos e calendários específicos para a melhora dos Direitos Humanos", disse Robertson.

veja também