Pai muçulmano em Uganda mata filho por se recusar a negar sua fé em Jesus

Kasimu Kawona matou o filho, de 20 anos, de forma brutal no quintal da casa da família. Ele não foi acusado de assassinato.

fonte: Guiame, com informações de Morning Star News

Atualizado: Quinta-feira, 19 Agosto de 2021 as 4:58

Enlutados na casa do assassinado Tabiruka Tefiiro na aldeia de Bupalama, no leste de Uganda. (Foto: Morning Star News).
Enlutados na casa do assassinado Tabiruka Tefiiro na aldeia de Bupalama, no leste de Uganda. (Foto: Morning Star News).

Um pai muçulmano matou o filho cristão, de 20 anos, por se recusar a negar sua fé em Jesus, no último domingo (15), em Uganda

De acordo com o Morning Star News, Kasimu Kawona, do vilarejo de Bupalama, no distrito de Kibuku, não foi acusado de assassinato, mas de homicído culposo (quando nã há a intenção de matar) porque matou o filho por ter deixado o islã. 

O jovem Tabiruka Tefiiro se rendeu a Cristo em 2019. Por causa de sua conversão ao cristianismo, o pai expulsou o filho de casa, que foi morar em Kampala, onde passou a trabalhar em um hotel.

Por vários meses, a mãe de Tabiruka tentou o convencer a voltar para casa e se reconciliar com o pai, mas sem sucesso. Até que no dia 1º de agosto, o filho decidiu voltar. O pai ficou longe de casa até sábado (14), quando convocou uma reunião de família para questionar Tabiruka se ele havia retornado ao islamismo. 

“Eu sou maduro o suficiente para entrar em qualquer religião que eu queira, porque tenho mais de 18 anos. Quero confirmar que sou salvo pela graça de Deus. Não posso renunciar à minha fé cristã agora ou no futuro”, disse Tabiruka, segundo a tia do jovem, Jamila Baluka, ao Morning Star News.

O pai ficou furioso, mas permaneceu em silêncio e saiu da casa da família. No dia seguinte, Kasimu voltou para casa com uma faca e uma enxada e começou a atacar Tabiruka, que conseguiu fugir para um vizinho .

“Ele seguiu o Tefiiro e entrou na casa à força e retirou-o de volta para o quintal, onde o amarrou e começou a espancá-lo com a enxada Ele caiu inconsciente. E então o pendurou”, relatou um familiar, que não se identificou por questões de segurança. 

Kasimu assassinou o filho e o pendurou por uma corda no quintal da casa da família. O choro da mãe e de outros familiares alertaram os vizinhos que foram até o local. 

“Quando cheguei à casa de Kawona com outros vizinhos, encontramos o pai do lado de fora da casa. Ele nos contou que matou seu filho, que desgraçou a religião islâmica ao se tornar cristão”, disse o presidente da área, Hassan Kwiri.

O presidente Kwiri e outros vizinhos muçulmanos levaram Kawona até a delegacia de polícia de Bupalama. O corpo do jovem foi levado para a perícia. 

O pastor da igreja onde Tefiiro congregava afirmou que a polícia deveria ter acusado o pai de assassinato. “Estamos tristes com a morte brutal de nosso jovem convertido que adorou em nossa igreja por dois anos”, lamentou o líder.

 

veja também