Paquistão lamenta o assassinato do governador que apoiou cristãos

Paquistão lamenta o assassinato do governador que apoiou cristãos

Atualizado: Sexta-feira, 7 Janeiro de 2011 as 10:38

O governador da província Punjab do Paquistão foi assassinado, terça-feira, dia 04 de janeiro pelo seu guarda-costas.

Salmar Taseer foi um dos advogados mais veementes para a Asia Bibi, mãe cristã condenada à morte por blasfêmia, e um oponente das leis de blasfêmia do país.

A secretária americana Hillary Clinton condenou o assassinato e chamou sua morte de grande perda.

“Eu tive a oportunidade de encontrar-me com o governador Taseer no Paquistão e admirei seu trabalho de promover a tolerância e a educação das futuras gerações do Paquistão,” disse ela.

Ela adicionou que os Estados Unidos está comprometido em ajudar o governo e as pessoas do Paquistão a trazer paz e estabilidade para o país.

Apenas no mês passado, Taseer denunciou as leis de blasfêmia do Paquistão, que preveem a morte por contaminar o islã ou seus profetas; prisão perpétua por profanação, danos, ou profanação do Alcorão; e 10 anos de prisão por insulto aos sentimentos religiosos de outra pessoa.

“Se você quer minha opinião pessoal, eu não gosto dessa lei,” disse ele para a revista Newsline. “A coisa importante a lembrar é que isso é uma lei feita por homens, não uma lei feita por Deus.”

Ele também expressou sua indignação para com a sentença de encarceramento e sentença de morte de Bibi. Ele chamou isso “um erro de justiça flagrante,” “cruel” e “desumano,” de acordo com o Newsline.

Ele pediu ao presidente Asif Ali Zadari pela libertação de Bibi.

Bibi foi encarcerada depois que ela teve uma pequena discussão com companheiras trabalhadoras de campo. Ela estava coletando frutas no campo com suas companheiras trabalhadoras muçulmanas e foi buscar água para o grupo. Ao voltar, as mulheres muçulmanas se negaram a beber a água porque o conteúdo havia sido tocado por um cristão.

As mulheres tentaram, sem sucesso, convertê-la à força ao islã. Poucos dias depois, dezenas de muçulmanas a arrastaram para longe. Ela apanhou e foi acusada de blasfêmia contra o profeta muçulmano Muhammand [Maomé], o que ela nega.

Bibi foi presa e é a primeira mulher a ser sentenciada à morte por blasfêmia.

O apoio de Taseer para a libertação de Bibi o fez um alvo para os extremistas islâmicos. De acordo com Warren Throckmorton, que começou a petição nos Estados Unidos, exigindo sua libertação, Taseer teve uma fatwa – uma decisão religiosa ou, no caso, uma ordem para matar – sobre sua cabeça.

Raza Anjum, uma conselheiro da cidade do Reino Unido, que está no Paquistão tentando ganhar liberdade para Bibi, disse que Throckmorton que Taseer falou fortemente contra o extremismo religioso.

O governador de Punjab estava “preparado para enfrentá-los (os extremistas) para ajudá-los a trazer um Paquistão progressivo e pacífico,” disse Anjum. “Sua morte tem deixado o país em choque em um tempo em que se enfrenta uma crise política iminente.”

O primeiro ministro Yousuf Raza Gilani declarou três dias de luto por Taseer. Instituições e escolas em Punjab foram ordenadas a encerrar o serviço na quarta-feira.

A comunidade cristã do Paquistão representa menos de cinco por cento da população do país de 175 milhões de pessoas. O país ocupa atualmente o 14º lugar na Classificação de países por perseguição de 2011.

veja também