Parlamentar cristão esteve reunido com o ministro de Relações Exteriores, Antonio Patriota

Marcelo Aguiar e evangélicos pedem clemência ao iraniano

Atualizado: Segunda-feira, 5 Março de 2012 as 9:10

O deputado federal marcelo Aguiar (PSD/SP), membro da diretoria da Frente Evangélica e da Assembléia de Deus do Brás esteve reunido com o ministro de Relações Exteriores, Antonio Patriota, para apresentar pedido de clemência ao iraniano. O resultado foi positivo., segundo Patriota, o pastor está vivo. Depois do encontro, que aconteceu nesta quarta-feira (29/03), no Itamaraty, o governo sinalizou que pretende tomar atitudes concretas para descobrir onde está o pastor e pedir clemência ao governo iraniano.

 O parlamentar foi o autor, ao lado de outros parlamentares evangélicos, de uma moção de repúdio à prisão do pastor, em outubro passado. E chegou a ter um encontro com o embaixador iraniano no Brasil, que negou a prisão por motivos religiosos e prometeu dar detalhes sobre o caso. No começo do ano, no entanto, os parlamentares cristãos foram surpreendidos com a informação de que Youssef havia sido sentenciado à forca.


“Temos que saber se eles faltaram com a verdade. Nenhum cristão pode ser morto por evangelizar”, afirmou Marcelo Aguiar. O parlamentar participou do encontro com Patriota ao lado do deputado Marco Feliciando, João Campos, Anderson Ferreira e outros membros da Frente Evangélica que estão preocupados com a recusa do Irã em garantir os Direitos Humanos e liberdade de expressão de fé.

Aguiar lembrou que está, desde outubro, implorando às autoridades brasileiras atenção ao caso do pastor que está preso por se recusar a negar sua fé em Jesus Cristo. Com o anúncio da sentença de morte, divulgado no começo de fevereiro.

O ministro afirmou que já fez gerências junto à Chancelaria iraniana que afirmou que o pastor está vivo e o governo está em busca de informações mais concretas sobre o caso, mas lembrou que o momento é de paciência e humildade, para não haver qualquer crise entre os países. Os parlamentares se reúnem novamente na próxima terça-feira, para debater novas alternativas.

veja também