Pastor denuncia aumento de sacrifícios de crianças, em Uganda

Ajuda missionária oferece proteção e esperança às comunidades que sofrem com o crescimento dos rituais.

fonte: Guiame, com informações da Mission Network

Atualizado: Sexta-feira, 26 Julho de 2019 as 2:34

Bruxo preparando ritual de feitiçaria. (Foto: UNAMID/Albert Gonzalez Farran)
Bruxo preparando ritual de feitiçaria. (Foto: UNAMID/Albert Gonzalez Farran)

Um pastor de Uganda emitiu recentemente um pedido internacional de ajuda. Falando diante do parlamento da Austrália, o pastor Peter Sewakiryanga emitiu um alerta vermelho sobre a ascensão de sacrifícios de crianças em seu país e pediu às autoridades que tomassem medidas.

Diretor executivo do Kyampisi Childcare Ministries, ele disse que “poucas vítimas sobrevivem, e aqueles que conseguem ficam com ferimentos horríveis”.

Falando aos legisladores no Premiers Hall, no parlamento de Queensland, na Austrália, em 2 de julho de 2019, o pastor Sewakiryanga fez campanha por parceria para se envolver com o governo de Uganda para tratar do sacrifício Infantil, “que agora está em proporções epidêmicas”.

O governo de Uganda não tem financiamento para tratar adequadamente do assunto, de acordo com a ABC News, com sede na Austrália.

Pr. Peter Sewakiryanga no Parlamento Australiano. (Foto: Reprodução/MN)

O diretor executivo do Set Free Ministries, Dean Vander Mey, diz que os curandeiros estão por trás da crise. “Os bruxos realmente sequestram crianças para fazer derramamento de sangue”, afirma.

Diante da situação, os crentes locais convidaram Set Free Ministries para Uganda em 2004. No ano seguinte, os missionários começaram a trabalhar com as crianças e as igrejas, quando passaram a ter contato com os bruxos que controlam as comunidades.

"Há um curandeiro para cada 11 a 12 pessoas, dependendo da região em que você está. Eles mantêm tudo sob medo e intimidação", diz Vander Mey.

Logo depois que o Set Free começou a trabalhar em Uganda, Vander Mey consultou um grupo de pastores locais durante uma conferência.

"Ouvimos dizer que é costume vocês têm duas semanas antes que os curandeiros exijam que seu filho seja entregue para dedicação. Se não fizer isso, eles o amaldiçoam e seu filho adoecerá”, disse ele em reunião com os homens locais. "Todos vocês tiveram seus filhos dedicados pelos feiticeiros?", perguntou.

Vander Mey diz que cada homem do grupo baixou a cabeça de vergonha.

Intimidação

Diante das intimidações, os pais se sentiam impotentes e com medo das “habilidades dos feiticeiros”.

"Cada pai havia permitido que seus filhos fossem dedicados a Satanás", disse.

Era necessário um trabalho missionário para livrar as comunidades dos feiticeiros.

Foi quando o Set Free chegou, para oferecer esperança e proteção às crianças através da educação e orientação cristãs. “Temos nove escolas agora e essas nove escolas [educam] entre 250 e 300 alunos por ano”, diz Vander Mey.

O pastor diz que a epidemia de AIDS de Uganda, nas décadas anteriores, piorou a situação das crianças e resultou em “2,3 milhões de órfãos; eles dizem que 75% de Uganda tem 18 anos ou menos. Uganda, agora é uma nação de crianças”, acrescenta ele.

Vander Mey lembrou que “a última coisa que Jesus disse antes de sair da Terra foi ‘faça discípulos'. Estamos fazendo discípulos de todas as nações e, em Uganda, há muitas crianças que precisam de discipulado”, disse.

Para reforçar os trabalhos locais, a Set Free quer expandir seus esforços construindo a Light Academy - a primeira escola secundária e vocacional cristã da região. “Apenas 10% dos estudantes frequentam o ensino médio”, explica Vander Mey.

“Muitas das meninas são traficadas, e nós não queremos ver isso. Queremos mantê-las na escola e mantê-las educadas, e depois [ajudá-las] a conseguir empregos [através de] um centro de treinamento vocacional”, diz o diretor da Set Free.

"Estamos procurando novos doadores que possam estar interessados em ajudar porque, na verdade, estamos revolucionando uma região inteira de pessoas", explica ele, referindo-se aos crentes ugandenses anteriormente mantidos em cativeiro por seu medo de curandeiros.

"[Eles] não só são libertados em Cristo, mas agora estão criando uma nova geração de discípulos", afirmou.

Vander Mey também pede oração. “Ore para que Deus continue o reavivamento e traga beleza para as cinzas. Adoramos ver isso acontecendo agora - é apenas beleza para cinzas”, diz ele, referindo-se a Isaías 61.

“Ore também para que o Senhor continue trazendo mais e mais crianças órfãs que estão chegando à fé”, finalizou.

veja também