Pedido por Guiné-Bissau - Coluna Heliel Carvalho

Pedido por Guiné-Bissau - Coluna Heliel Carvalho

Atualizado: Quarta-feira, 17 Junho de 2009 as 12

A ti, ó Deus, confiança e louvor ... Ó tu que escutas a oração, a ti virão todos os homens, por causa de suas iniqüidades.... Com tremendos feitos nos respondes em tua justiça, ó Deus, Salvador nosso, esperança de todos os confins da terra e dos mares longínquos [inclusive Guiné-Bissau];

(Sl 65.1,2,5)

Irmãos(as) queridos (as), estamos informados na crise sem precedentes que vive Guiné-Bissau. Deus com seu poder e graça pode e quer usar a Igreja Brasileira e Peruana e das demais partes do mundo para exaltar sua glória entre as nações. Por isso, incentivo aos irmãos para que oremos sem cessar por essa situação.

Imagine que você estivesse vivendo num país a beira de uma guerra incontrolável e perversa como vista em Ruanda (filme: Hotel Ruanda), Serra Leoa (filme: Diamante de Sangue). A fome na Etiópia (filme: Amor sem fronteiras); Sobre o Quênia (Filme: jardineiro Fiel) e tantos outros.

A Segunda Guerra do Congo, por exemplo, também conhecida como a Guerra Mundial Africana ou a Grande Guerra de África, foi um conflito armado que se iniciou em 1998 e terminou oficialmente em 2003 quando o Governo de Transição da República Democrática do Congo tomou o poder. A maior guerra na história moderna de África, um dos conflitos mais mortíferos desde a Segunda Guerra Mundial, envolveu directamente oito países africanos, bem como cerca de 25 grupos armados. 3,8 milhões de pessoas morreram, a maioria de inanição e doenças. Vários outros milhões foram deslocados das suas casas ou procuraram asilo em países vizinhos.

Irmãos, se queremos experimentar alegrias nas respostas de Deus, teremos que experimentar a dor das nações. Acima de Tudo que o nosso zelo pela glória de Deus seja evidenciado através de nossas orações por esses povos, especialmente neste momento por GUINÈ-BISSAU.

Veja algumas informações sobre Guiné-Bissau - 05/06/2009 - 06h20

Candidato à Presidência de Guiné-Bissau é morto a tiros

Dacar, 5 jun (EFE).- O candidato à Presidência de Guiné-Bissau Baciro Dabó, que concorreria nas eleições de 28 de junho, foi assassinado hoje com vários tiros, informou a rádio pública local.

A emissora assinalou que o candidato foi assassinado por "homens armados não identificados" que invadiram sua casa no começo da manhã de hoje (local) e o balearam várias vezes.

A rádio privada senegalesa "RFM" lembrou que Dabó deixou recente o cargo de ministro de Administração Territorial do Governo liderado pelo atual primeiro-ministro, Carlos Gomes Júnior, para apresentar-se às eleições.

A emissora também indicou que Dabó era muito próximo politicamente ao anterior presidente, João Bernardo Vieira, assassinado por militares no dia 2 de março.

As eleições presidenciais foram convocadas após os assassinatos, no começo de março, de Vieira e do chefe das Forças Amadas, general Batista Tagme Na Wai, que colocaram o país, um dos mais instáveis e pobres da África Ocidental, em uma situação crítica.

Vítima de um atentado a bomba que destruir parcialmente a sede do Estado-Maior, o general Tagme Na Wai morreu em 1º de março à noite, enquanto Vieira foi assassinado na madrugada do dia seguinte por um grupo de militares.

As eleições teriam de acontecer num prazo anterior a 60 dias da morte do presidente, mas tiveram de ser adiadas até o dia 28 de junho porque o país não tinha condições de organizar um pleito nesse período de tempo.

Desde sua independência de Portugal, em 1974, Guiné-Bissau sofreu uma série de golpes de Estado e de enfrentamentos entre facções rivais do Exército.

Heliel Carvalho é pastor e professor de teologia em Goiás.

veja também