Perseguição aos cristãos na Eritreia pode se espalhar; igrejas pedem orações

Por causa da violência contra os seguidores de Cristo, muitos estão fugindo para a Etiópia, mas o conflito em Tigré os colocou em risco mais uma vez.

Fonte: Guiame, com informações de Portas AbertasAtualizado: sexta-feira, 5 de novembro de 2021 18:07
Há muitos prisioneiros vivendo dentro de contêineres por causa de sua fé em Jesus. (Foto: Portas Abertas)
Há muitos prisioneiros vivendo dentro de contêineres por causa de sua fé em Jesus. (Foto: Portas Abertas)

Igrejas do Reino Unido receberam solicitações para orar pela Eritreia, onde a perseguição aos cristãos ameaça se espalhar para a vizinha Etiópia. Observadores do mundo inteiro estão de olho na Eritreia por causa do nível de desrespeito aos direitos humanos. 

O país que ocupa o 6º lugar na Lista Mundial da Perseguição, conforme a Portas Abertas, é um dos piores lugares do mundo para quem se decide pelo cristianismo.  

A Release International — uma organização de direitos humanos — diz que líderes cristãos estão sendo mortos por forças da Eritreia que se uniram aos combates em Tigré, no norte da Etiópia. Conforme fontes locais, pelo menos 78 deles já foram assassinados pelas forças da Eritreia.

Em novembro do ano passado, aconteceu o massacre de centenas de civis na cidade sagrada de Askum. Helen Berhane, ex-prisioneira de fé na Eritreia e agora defensora da liberdade religiosa, advertiu que a onda de terror continua.

“As tropas da Eritreia estão matando muitos líderes cristãos e estuprando suas esposas”, ela disse à Release International.

Tempos difíceis

“Alguns dos padres estavam em pé segurando suas cruzes, então eles cortaram suas mãos. E quando os soldados mandam os padres tirarem seus chapéus, e eles dizem não, eles atiram neles”, Helen relatou.

Segundo ela, há centenas de líderes cristãos morrendo neste conflito nas mãos dos soldados eritreus. 

A Eritreia tem um histórico de décadas de perseguição aos cristãos, após o fechamento da maioria das igrejas em 2002. Nos anos seguintes, cristãos foram presos, detidos e torturados.

Helen conta que ficou trancada em um contêiner e que sofria com as baixas temperaturas da noite e o calor intenso do deserto durante o dia. Ela também pede oração e jejum à Igreja do mundo todo pelos cristãos que estão sofrendo na Eritreia.

“Eu jejuo, não para mudar a situação, mas para me disciplinar e entender. Eu pergunto a Deus: O que está acontecendo?”, ela desabafou. “Sempre oro, canto e leio minha Bíblia, onde encontro palavras encorajadoras. Estamos em tempos difíceis, então precisamos jejuar e orar”, continuou.

Fuga para a Etiópia

Alguns cristãos eritreus fugiram pela fronteira para a Etiópia, onde encontraram segurança em campos de refugiados, mas o conflito em Tigré os colocou em risco mais uma vez.

“Por favor, ore por proteção para esses cristãos e por graça para que eles possam receber com alegria o sofrimento que estão enfrentando. Sabemos que eles estão sofrendo por causa de Cristo”, disse Berhane Asmelash, um ativista de direitos humanos.

O CEO da Release International, Paul Robinson, também está pedindo aos cristãos no Reino Unido que se lembrem de seus irmãos e irmãs perseguidos na Eritreia. “Precisamos estar com eles, ajudar a carregar seus fardos e nos juntar a eles em oração por um novo dia de liberdade em seu país”, disse.

Apesar da perseguição violenta, Asmelash diz que o cristianismo continua a crescer na Eritreia. “Os cristãos têm sido o grupo de pessoas mais perseguido na Eritreia. É porque eles não param de se reunir e não param de adorar. Está além do controle do governo”, explicou.

De acordo com Asmelash, é possível que haja pelo menos 180 cristãos atrás das grades na Eritreia. Alguns foram libertados no ano passado, possivelmente em um esforço para conter a pandemia por Covid-19 nas prisões superlotadas do país. 

Mas, sabe-se que durante o verão dezenas foram presos novamente, frustrando as esperanças de uma mudança de atitude por parte do governo. “Não vemos nenhuma mudança na política”, disse Asmelash.

“O governo não está ganhando nada prendendo esses cristãos. Há muitas pessoas talentosas dentro da prisão, que poderiam contribuir muito para seu país. Portanto, minha mensagem ao governo da Eritreia é para libertá-los. Suas famílias, seus filhos, suas esposas e seus maridos precisam deles”, concluiu.

Siga-nos

Mais do Guiame

O Guiame utiliza cookies e outras tecnologias semelhantes para melhorar a sua experiência acordo com a nossa Politica de privacidade e, ao continuar navegando você concorda com essas condições