Polícia abre inquérito contra missionário na Ásia

Polícia abre inquérito contra missionário na Ásia

Atualizado: Quarta-feira, 1 Junho de 2011 as 2:25

O missionário Vin Kumal, da missão Evangelho para a Ásia (GFA) foi vítima de um inquérito policial depois que alguém na sua vila o acusou de corromper as pessoas e forçá-los a se converter ao cristianismo.

Kumal foi convocado para se apresentar a delegacia, onde um oficial lhe interrogou. Kumal disse que não está oferecendo subornos ou obrigando alguém a mudar de religião contra a sua vontade.

Ele compartilhou o amor de Jesus e a história do Evangelho, dizendo ao policial que o amor de Jesus é um dom gratuito e que só pode ser aceito por um coração disposto. O oficial ficou satisfeito com as respostas Kumal e o liberou.

O ministério enfrenta acusações de suborno e conversões forçadas frequentemente. As denúncias chegam, geralmente, quando a pessoa que faz a acusação vê muitas pessoas se convertendo a Cristo.

As denúncias devem ser investigadas, pois muitas áreas do sul da Ásia dizem que têm leis que autorizam a liberdade religiosa. No entanto, essas leis são utilizadas para aplicar duras penalidades para quem se converter. Os cristãos são frequentemente acusados de violar estas leis.

Muitas denúncias são feitas depois que os missionários oferecem ajuda as famílias. Isso causa problemas para os missionários que atuam em equipes de trabalhos sociais, que oferecem comida e abrigo. Os missionários da GFA foram denunciados depois que deram presentes aos moradores.

Kumal e sua família compartilham o amor de Jesus, em reuniões ao ar livre, reuniões de oração em casa de visinhos, distribuição de Bíblias e folhetos evangelísticos.

veja também