Por falta de Bíblias, cristãos de ilha na Ásia revezam leitura: “Precisamos de mais”

Para muitos cristãos na ilha de Bornéu, pertencente à Indonésia, o contato com a Bíblia é feito só através dos cultos e pequenos grupos.

fonte: Guiame, com informações do Mission Network News

Atualizado: Quinta-feira, 10 Outubro de 2019 as 11:39

Imagem ilustrativa. Muitos cristãos da ilha de Bornéu têm acesso à Bíblia apenas na igreja. (Foto: Forgotten Missionaries International)
Imagem ilustrativa. Muitos cristãos da ilha de Bornéu têm acesso à Bíblia apenas na igreja. (Foto: Forgotten Missionaries International)

A ilha de Bornéu, uma região pertencente à Indonésia, é marcada não apenas por paisagens paradisíacas. Os cristãos que vivem nos vilarejos não têm acesso fácil à Bíblias e precisam revezar entre si para ler as Escrituras.

De acordo com o site Mission Network News, muitos cristãos da ilha de Bornéu não têm uma Bíblia. “Eles só podem ter acesso às Escrituras durante os cultos da igreja ou em pequenos grupos de 5 a 10 pessoas, construídos em torno de uma única Bíblia”, diz a publicação.

A organização Forgotten Missionaries International (FMI) concluiu uma grande entrega de Bíblias recentemente, mas a necessidade continua grande.

O missionário Bruce Allen, da FMI, conta que poucos dias depois da campanha, os moradores de Bornéu continuaram relatando a necessidade: “Estou recebendo e-mails e telefonemas dizendo: ‘Tudo o que você nos deu, já distribuímos. Já compartilhamos o Evangelho com muitas pessoas. Precisamos de mais 1000 Bíblias imediatamente’”, afirma.

Uma das pessoas impactadas pela distribuição de Bíblias é Agus, um estudante da sexta série que vive na área de Kalimantan. Ele foi criado no animismo, a crença de que tudo possui alma e espírito, inclusive objetos e plantas — até conhecer o Evangelho.

A Indonésia é um país predominantemente muçulmano. Dos mais de 263 milhões de habitantes, cerca de 229 milhões são muçulmanos, enquanto apenas 26 milhões são cristãos. Apesar dessas dificuldades, Agus conheceu vários estudantes cristãos em sua escola.

Até mesmo seu professor era cristão e conversou com ele sobre o Evangelho. “Agus começou a conversar com seu professor sobre quem criou coisas como pedras, árvores e rios. O professor explicou a crença cristã da Criação, e que esse Deus que projetou o universo amava sua criação”, relata Allen.


Agus conheceu vários estudantes cristãos em sua escola. (Foto: Forgotten Missionaries International)

Agus ficou fascinado e quis aprender mais. Contra todas as probabilidades, ele recebeu uma Bíblia que fazia parte da campanha da FMI. Pouco depois, o estudante entregou sua vida a Cristo. 

Inspirado por sua nova fé, Agus passou a compartilhar o Evangelho com sua família. Embora seus pais não tenham se convertido, eles ficaram felizes com a mudança de seu filho e deram permissão a um pastor local para batizá-lo.

“Precisamos apenas lembrar que, mesmo quando ouvimos essas histórias de perseguição, há pessoas que o Senhor está atraindo para Si. Jesus disse: ‘Quando eu for levantado da terra, atrairei todos os tipos de pessoas a mim’ (João 12:32), e Ele ainda está fazendo isso”, afirma Allen.

veja também