Pra. Edméia Williams cuida de 150 crianças no Morro D. Marta no RJ

Pra. Edméia Williams cuida de 150 crianças no Morro D. Marta no RJ

Atualizado: Quinta-feira, 5 Maio de 2011 as 12:20

Confira abaixo entrevista que a pastora Edméia Williams concedeu ao site Getsêmani.

Comunicação Getsêmani: A sra passou por grandes perdas em sua vida (perda do esposo e da filha ainda na juventude), e superou os obstáculos, permitindo-se ser um instrumento nas mãos de Deus e abençoando muitas vidas. O que tem a dizer as pessoas que perderam entes queridos, ou de-repente um grande amor, o emprego, ou até mesmo um filho, como foi o caso da sra, e estão pensando em desistir da vida?

Pra. Edméia: Precisamos cair na real porque temos a tendência de achar que tudo é nosso. Eu não fiz aquela filha, não sei fazer uma caneta, um lápis, um liquidificador, quando descobri já estava grávida. Alguém fez, e não foi o meu marido, porque ele também não sabia fazer nada disso, quem a fez foi Deus e se Ele fez, tem o número de dias daquela pessoa e Ele leva sem pedir licença, porque é d’Ele. Temos que nos conscientizar que quando um plano nosso não dá certo, temos que recuar, porque os planos de Deus nunca são frustrados e quando os nossos planos são frustrados, podemos estar cientes que o plano d’Ele está avançando.

Com Get: A sra é formada em Pedagogia, Filosofia, Psicologia e Música e não possui apenas conhecimentos seculares, mas também fez o Curso de Liderança Cristã, no Instituto Haggai, em Cingapura e é formada em Missiologia pelo Celly Oak Collage , na Inglaterra. A sra usa conhecimentos seculares no trabalho que realiza? Caso positivo, como?

Pra. Edméia: Utilizo tudo que aprendi. Tive um professor na faculdade que dizia: Cultura é aquilo que fica depois que a gente esqueceu tudo.

Fui pianista, hoje não toco mais, mas posso assistir um concerto de piano e dizer se o pianista tocou bem ou não e quais foram suas falhas, porque conheço o piano. Da mesma forma com a pedagogia, filosofia e missiologia também. Uso tudo que aprendi no meu trabalho com as crianças e mesmo na minha capacidade e busca da Palavra de Deus.

Com Get: Para a sra, qual o conceito de uma verdadeira liderança? Existe algo que considere utópico no ministério?

Pra. Edméia: A liderança nasce no coração do servo, então se não for servo não poderá ser líder. Se não souber servir, jamais poderá liderar. No ministério a maior utopia é você servir ao Deus que já lhe deu tudo. É excelente servir ao Senhor Jesus Cristo pelo que Ele já fez, ou seja; tudo. O trabalho na cruz está completo. Você serve com a certeza de alguém que lhe ama, e que não está lhe devendo nada. O trabalho de Cristo foi consumado.

Com Get: Fale um pouco sobre a casa Maria e Marta. Existe apoio do governo para esse projeto?

Pra. Edméia: A casa de Maria e Marta foi um projeto social iniciado em 1990, no Morro Dona Marta, onde era a maior concentração de centro de macumba da zona sul e era a favela mais violenta do Rio de Janeiro, então observei que as mães, em sua maioria mães solteiras, levavam seus filhos de manhã pra creche e pegam de tardinha quando voltam. E quando as crianças faziam cinco anos não podiam mais voltar pra creche.

E quando a criança fica solta dentro de casa para ir a escola sozinha e não ia, e se aproximavam dos titios que empunhavam as armas e daqui a pouco se envolviam tanto com aquilo, que aos nove anos eram bandidos e pronto. Entrei nessa brecha e pegava as crianças que saiam da creche. As crianças vem de manhã, tomam café, vão para o colégio, e quem não vai para a escola fica conosco.

Tenho quatro professoras, e eles são tirados em grupos para aula de computação, aula de teclado, violão, canto, dança, ensino religioso, e as 11h30, começamos a servir o almoço e eles descem pra escola.

Os que foram pra escola de manhã, voltam, vão almoçar e passam a tarde, como os da parte da manhã passaram. Com esse trabalho, nunca perdemos nenhuma criança para o trafico. O morro. O morro Dona Marta, foi mudando a ponto de não ter mais bandidos.

Foi aumentando o numero de igrejas evangélicas, porque os meninos aceitam a Cristo na Casa Maria e Marta. Em 2002, acabou o último centro de macumba. Em 2004, o morro D. Marta, foi retirado da lista das favelas violentas, em 2008, o morro D. Marta recebeu o primeiro UPP do RJ todo sem um tiro, sem uma gota de sangue, sem uma voz de prisão. O morro foi transformado pelo poder da Palavra de Deus. Fizeram um censo para descobrir o por quê disso, e descobriram que o morro D. Marta tem 83% da população evangélica.

Não temos apoio do governo para esse projeto. Recebemos graças a Deus o auxilio financeiro do Pr. Silas Malafaia, que tem nos abençoado mensalmente.

Com Get: Obra social está atrelada a?

Pra. Edméia: Fé. Eu creio, eu ajo.

Com Get: Das experiências que obteve em outros países como, por exemplo, no Iraque, o que mais a chamou atenção?

Pra. Edméia: A igreja vai muito devagar. O corpo de Cristo precisa ser mais amoroso e agressivo no sentido de ir, sabendo que Jesus Cristo vai à frente.

Ping Pong

Versículo: "Porque Deus amou o mundo de tal maneira que deu seu filho unigênito para que todo aquele que n’Ele crê, não pereça, mas tenha a vida eterna." João 3.16.

Deus: Pai, Filho e Espírito Santo.

Livro que indica: "Tesouros Escondidos", Edméia Willians.

Fé: Em Jesus Cristo

Igreja: De Jesus Cristo

Divórcio: Nunca

Medo: O medo que lhe leva a buscar ao Senhor, como está escrito em 2 Cr 20.12 "Quando Josafá teve medo e buscou ao Senhor."

Roubo: Roubo é violência

Wellington Menezes, Suzane Richtofen, Alexandre Nardoni e Ana Carolina Nardone : Não conhecem a Jesus

Presidente Dilma: Tem jeito pra Ela, Jesus Cristo está aí mesmo e estamos orando.

Ex vice-presidente Zé de Alencar: Deixou uma marca de grande guerreiro

Superficialidade: O evangelho da prosperidade

Incredulidade: Inimigo de Deus

Egoísmo: Morte

Para contribuir com essa causa, você pode fazer um deposito na conta: Ag 8475 C/C: 14098-7 (Casa Maria e Marta)

Por: Renata G. Santana

veja também