Pressão diplomata brasileira e pressão da bancada evangélica surtiram efeito na intervenção

Autoridades iranianas afirmam que Pr. Youssef não será morto

Atualizado: Quarta-feira, 29 Fevereiro de 2012 as 11:44

Gleisi Hoffmann, ministra da casa civil, afirmou nesta quarta-feira (29) que o governo brasileiro entrou em contato com o Irã para saber quais motivos levaram à prisão naquele país do pastor evangélico Youssef Nadarkhani.

O iraniano Nadarkhani, 33 anos, converteu-se do islamismo para o cristianismo aos 19 anos e três anos depois, já pastor evangélico, fundou uma pequena comunidade cristã na cidade de Rasht, a noroeste de Teerã. Nadarkhani foi preso, acusado de abandonar a fé islâmica, e recebeu a sentença máxima: morte por enforcamento.

Pelo twitter o deputado estadual evangélico Carlos Alberto Bezerra Jr informou que autoridades diplomaticas do Irã já disseram que Pr. Youssef não será condenado a morte. " Ótima notícia! Autoridades diplomáticas iranianas responderam ao governo brasileiro afirmando q o Pr #Nadarkhani não será condenado à morte" comemora ele.

Gleisi vai se reunir nesta tarde com parlamentares da bancada evangélica no Congresso, que pedem intervenção do governo brasileiro no caso. Às 13h30, ela receberá o deputado federal e pastor Marco Feliciano (PSC-SP) no Palácio do Planalto.

veja também