Primeira reunião de homens cristãos acontece na Albânia

Primeira reunião de homens cristãos acontece na Albânia

Atualizado: Quinta-feira, 23 Dezembro de 2010 as 11:32

Há três anos na Albânia, no Leste Europeu, os missionários de Missões Mundiais da CBB, Pr. Henrique e Henriqueta Davanso, já colhem os frutos semeados como pioneiros naquela nação. Especialmente entre os homens, pois culturalmente eles não costumam frequentar nenhuma igreja – mesmo aqueles que se convertem.

A Igreja Batista no bairro Bathore, em Tirana, capital do país, tem crescido em número e em espiritualidade, de acordo com o Pr. Davanso. Porém, o trabalho só estava alcançando as mulheres e as crianças albanesas; os homens recusavam-se a ir aos cultos. Sem entender os motivos, o missionário seguiu relacionando-se com eles, em sua maioria esposos das mulheres que estão frequentando a igreja. Alguns deles, inclusive, já haviam manifestado suas decisões por Jesus Cristo, como único e suficiente Salvador, em reuniões nos lares. Mas nada de irem aos cultos... Após algum tempo, acompanhado por intercessões dos crentes brasileiros, os homens aceitaram o convite do Pr. Davanso e foram a uma reunião na igreja.

“Pode lhe parecer normal um homem ir para o culto, especialmente no Brasil, mas por aqui não é nada fácil. Eles, devido à tradição cultural, geralmente não vão para a igreja. Ainda não entendi o porquê disso, mas estamos orando, juntamente com uma nação de intercessores, para que eles também façam parte da nossa igreja”, conta o missionário.

O culto histórico para o trabalho missionário na Albânia aconteceu em novembro, e começou com sete homens que, pela primeira vez, aceitaram ao convite de cultuar a Deus na igreja. “Esperamos esse momento por três anos. Jejuamos, oramos, convocamos um exército incontável de intercessores para que isso, um dia, acontecesse... E, finalmente, aconteceu a nossa primeira reunião!”, comemorou o Pr. Davanso.

O culto transcorreu normalmente e, ao final, o Pr. Henrique celebrou o bom testemunho que o novo momento trouxe para a igreja perante a comunidade local. “Oramos, louvamos, conversamos e, como 'ninguém é de ferro', fizemos uns comes e bebes. Creio que este é um novo mover de Deus por aqui. Tanto que um dos adolescentes de nossa igreja chegou até mim, alegre e sorridente, e disse que agora não só as mesquitas têm homens, mas a nossa igreja também. Ore por esses homens e por milhares que virão, em nome de Jesus”, finaliza.

Por Sérgio Dias

veja também