Prisão de cristãs em país africano

Prisão de cristãs em país africano

Atualizado: Quinta-feira, 7 Janeiro de 2010 as 12

Um grupo de 30 mulheres, na sua maioria idosas, está detido desde o dia 5 de dezembro do ano passado na Eritreia - nação mais jovem da África, que obteve sua independência em 1993.

Elas são acusadas de pertencer a uma igreja evangélica, não reconhecida oficialmente pelo Estado totalitário do país africano. Na Eritreia apenas podem operar a Igreja Ortodoxa da Eritreia, a Igreja Católica e a Igreja Evangélica Luterana da Eritreia.

Qualquer outra confissão é proibida e os seus praticantes estão constantemente sujeitos à detenção e a tempos indefinidos nas terríveis prisões do país.

Mesmo as religiões oficiais têm passado por dificuldades. O Patriarca Antonios foi deposto pelo sínodo da Igreja Ortodoxa, alegadamente sob pressão do Governo, e tem estado em prisão domiciliar desde o ano passado.

Ao todo, organizações internacionais estimam que cerca de 2800 cristãos estejam detidos por causa da sua fé, a maioria em condições terríveis. Há relatos de 15 a 20 presos ocupando colchonetes colocados ao sol, e um sobrevivente definiu as condições da prisão onde esteve como viver numa fossa ao ar livre. (CA)

veja também