Professores continuam sendo alvos de violência

Professores continuam sendo alvos de violência

Atualizado: Segunda-feira, 13 Setembro de 2010 as 2:48

Apesar da desmoralização de professores e escolas no sul da Tailândia por causa dos ataques, a demissão de pelo menos um funcionário está longe de acontecer.

"Quando comecei a ensinar aqui, não havia muitos ataques", disse Veerawat Buakaew, professor da escola cristã de Mana Suksa, uma escola na província de Yala.

"Agora eu tenho ligação com meus alunos. Essa é uma razão pela qual eu não quero sair." No entanto, Veerawat admite viver sobre constante temor que, infelizmente há fundamento, já que não se sabe o que pode ser encontrado a beira da estrada. "Às vezes, granadas são encontradas e por isso sinto medo."

Um casal de professores, também marido e mulher, foram mortos a tiros enquanto andavam de motocicleta no dia 7 de setembro. Isto aumenta para 135 o número de professores mortos desde janeiro de 2004 nas províncias de maioria muçulmana de Narathiwat, Yala e Pattani.

Os professores, orientados juntamente com outros funcionários públicos e autoridades locais, são muitas vezes vistos pelos agressores como colaboradores do governo, que impõem a cultura budista predominante no país sobre os alunos através do sistema escolar.

"O último ataque teve um impacto na moral de todos os professores aqui", disse Jenta Rattanasakchaichan, diretora da escola. Ela disse que instalou 16 câmeras de circuito fechado em torno de sua escola há dois meses, e recomendou aos professores de irem para casa logo depois do trabalho.

Funcionários de outra instituição cristã, a Charoensri Suksa, em Pattani, escaparam por pouco de um atentado.

A bomba explodiu em um posto de controle fora da escola, quando dois militares trabalhavam normalmente. Quando a bomba explodiu, não havia ninguém no posto. Felizmente, apenas alguns móveis da escola foram destruídos.

Segundo a polícia, nos últimos seis anos, um total de 4.137 pessoas foram mortas nas três províncias do sul.

Tradução: Carla Priscilla Silva

veja também