Proficiente em Libras apoia evangelização de surdos em Arapiraca - AL

Proficiente em Libras apoia evangelização de surdos em Arapiraca - AL

Atualizado: Sexta-feira, 26 Março de 2010 as 12

Míriam Gomes Soares, aluna do Centro Integrado de Educação e Missões (CIEM), no Rio de Janeiro, cumpriu dois meses de estágio no campo missionário de Arapiraca, AL, onde pôde auxiliar o trabalho desenvolvido pelos obreiros surdos Flávio e Patrícia dos Santos. Como ela mesma definiu, ''foram dias intensos'', mas que garantiram grandes experiências no convívio com os cerca de 20 freqüentadores da Igreja Batista em Libras.

Alegre com o que viu em Arapiraca, Míriam teve a oportunidade de visitar, discipular e acompanhar todas as atividades sociais voltadas para os surdos da localidade. ''É uma nação, um grupo que também precisa da salvação de Jesus. Foi muito bom conhecer, estar nesse mundo dos surdos'', disse. Segundo a estagiária, o grande desafio é fazer com que a população veja o surdo como um igual, capaz de atuar na sociedade de maneira relevante. Nesse sentido, o trabalho missionário tem contribuído para lançar a semente da igualdade já que, por meio do testemunho da família missionária e das atividades culturais e sociais desenvolvidas na missão, os surdos de Arapiraca estão tendo voz.

Para além desse papel social, os surdos estão conhecendo o evangelho de Cristo.  ''Vi testemunhos das famílias que diziam: 'meu filho foi realmente transformado por Jesus'. Fui na casa dos pais de um surdo e, quando cheguei lá, me disseram que antes não sabiam por onde seu filho andava. Ele viajava, saía, mas ninguém sabia aonde e nem com quem andava. Hoje , esse surdo fala de Deus'', comentou Míriam, impressionada com os resultados do trabalho missionário.

Enxergando o surdo

Míriam conheceu libras há pouco mais de um ano. Seu interesse pelos surdos começou na Mini Trans Blumenau, em janeiro de 2009, quando acompanhou o missionário surdo Luís Antonio dos Passos em uma visita. Ao final dessa, sentiu-se frustrada por não ter compreendido a forma como o obreiro se comunicou com a dona da casa, também surda. ''Chegamos à casa de uma surda e ele começou a  evangelizá-la. Ela estava muito interessada. Ele me perguntou, através da escrita: 'como você se sentiu?'. Eu disse que não havia entendido nada e ele respondeu: 'está vendo? Quando não falam a minha língua eu me sinto assim: sem entender nada''.

Você também pode atuar na evangelização e discipulado de surdos. Missões Nacionais oferece várias maneiras de instruí-lo(a) acerca dessa grande obra. Clique aqui e saiba como.

veja também