Projeto alimenta diariamente crianças órfãs em aldeia no Malawi

O Portal Guiame mostra a realidade de uma aldeia remota na África sendo transformada através de projeto missionário.

fonte: Guiame

Atualizado: Sexta-feira, 7 Junho de 2019 as 4:44

Há seis meses, mais de 60 crianças estão sendo alimentadas diariamente na aldeia de Hatone, na província de Chikwawa, na região sul do Malawi. As refeições passaram a fazer parte da realidade delas através da ajuda enviada pelo Projeto Daniel.

Em parceria com a Missão Mãos Estendidas (MME), o Projeto Daniel busca mudar a realidade das crianças de Hatone — em sua maioria órfãs — através da construção de um centro infantil, onde receberão comida, educação e o ensino da Palavra de Deus.

Inicialmente, o projeto visava atender 30 crianças. Hoje mais de 60 crianças são alimentadas todos os dias e têm acesso à educação em duas salas de aula, feitas de barro e palha, que foram levantadas na aldeia.

O objetivo do Projeto Daniel é arrecadar fundos para a construção de um centro infantil com uma estrutura de alvenaria.

Marcos Corrêa, diretor do Guiame, está à frente do projeto em Hatone e falou sobre as mudanças vividas pela aldeia. “Já podemos ver uma transformação de seis meses para cá”, afirma.

“Muitas vezes você não pode vir à África, mas o seu coração pode vir à África. O seu coração na África vai transformar a realidade dessas crianças”, acrescenta.

O Projeto Daniel também apoiou o Malawi após o ciclone Idai, que deixou 60 pessoas mortas e outras 577 feridas. O desastre afetou diretamente 922.900 pessoas em todo o país.

Diante do cenário trágico, as doações arrecadadas pelo Projeto Daniel possibilitaram a compra de mais de 13 toneladas de alimentos para a região de Chikwawa.


Marcos Corrêa, diretor do Guiame, junto com as crianças da aldeia de Hatone. (Foto: Guiame/Marcos Corrêa)


Marcos Corrêa, diretor do Guiame, conduzindo momento de oração com as crianças. (Foto: Guiame/Marcos Corrêa)


Crianças da aldeia de Hatone estão recebendo alimentação e ensino. (Foto: Guiame/Marcos Corrêa)

veja também