Projeto da ADRA financia futuro de crianças

Projeto da ADRA financia futuro de crianças

Atualizado: Terça-feira, 23 Agosto de 2011 as 10:26

No Estado de São Paulo, crianças e adolescentes carentes têm nos Núcleos da Agência Adventista de Desenvolvimento e Recursos Assistenciais (ADRA) uma forma de complementar sua formação. Nesses locais, que funcionam no contraturno escolar, eles recebem reforço didático, aulas de musicalização, canto coral, informática, línguas, artesanato e praticam esportes. No entanto, para a manutenção das unidades, outro projeto é fundamental: o Apadrinhamento.

“O custo de uma criança hoje aqui no Núcleo é de 200 reais”, afirma a diretora da unidade da cidade de Engenheiro Coelho, Cláudia Guimarães. “O Apadrinhamento é o que ajuda a manter as crianças no projeto”. Por um valor mensal, o doador passa a apadrinhar uma criança, fornecendo condições financeiras para que ela, sua família e comunidade sejam atendidas pelos projetos da ADRA.

O padrinho recebe um kit com a foto da criança, as informações sobre ela, sua família e o projeto onde são assistidos. Um relatório anual mostra o desenvolvimento da criança ao longo dos meses. Além disso, a criança e o padrinho trocam cartas, brinquedos e podem se encontrar. “Assim a gente cria um relacionamento entre o padrinho e a criança”, conta Valter Araújo, diretor da ADRA Paulistana, onde, das 350 crianças atendidas pelos Núcleos, cerca de 300 já estão apadrinhadas.

Do outro lado, o gerente financeiro Saul Franca vê no Apadrinhamento um meio de retribuir o apoio recebido quando ainda era criança. “Da mesma forma que no passado eu fui ajudado, de maneira que não teria condições de estudar se não fosse a ajuda de alguma pessoa, hoje eu reconheço isso fazendo por alguém”, declara.

Para Araújo, a grandeza do projeto está nessa possibilidade de unir pessoas de dois mundos distantes. “É uma experiência única ajudar pessoas que sozinhas não poderiam ajudar a si mesmas”, acredita. “Lá [nos Núcleos] as crianças recebem duas refeições por dia e, para algumas delas, são as únicas, porque em casa não tem”.

Cláudia mostra que o trabalho que desenvolve é a longo prazo, pois o objetivo do projeto está no futuro das crianças. “Elas não vem apenas para comer ou brincar, a gente quer vê-los se tornarem pessoas melhores, cidadãos melhores. E, que no futuro, sejam capazes de irem em busca de seus sonhos e ideais”, conclui.

Na região paulistana do Estado de São Paulo, para se tornar um padrinho é só entrar no site da ADRA Paulistana e preencher um formulário online. Para a região central, onde se encontra o Núcleo de Engenheiro Coelho, é preciso entrar em contato com a ADRA Paulista Central pelo telefone (19) 21172900.

veja também