Projeto levará evangelho à população ribeirinha

Projeto levará evangelho à população ribeirinha

Atualizado: Quarta-feira, 4 Agosto de 2010 as 4:26

Em 2009, Missões Nacionais nomeou o casal de missionários pastor Donaldo Melo dos Santos e Marinalva da Silva Santos, para treinar e capacitar jovens batistas brasileiros para evangelização nas diversas comunidades existentes no Amazonas, até que toda a Amazônia seja alcançada. Esse trabalho tem sido feito por meio do projeto Radical Amazônia, que nasceu de uma parceria entre a Convenção Batista do amazonas e Missão Batista do Sul (IMB) e, agora, foi incluído no rol de projetos de Missões Nacionais.

Como funciona o Projeto Radical Amazônia

Os radicais participam de um treinamento de três a quatro meses e depois são enviados, em duplas, para comunidades ribeirinhas onde não há igreja evangélica. Uma vez nas comunidades, os radicais residirão com famílias locais, participando de sua rotina, ou seja, se aquela família pesca, eles pescam também. Se a família faz açaí ou farinha, eles fazem também. Esse relacionamento gera confiança não apenas da família como também da comunidade para com os radicais.

Durante o dia aproveitam as oportunidades para contar narrativas bíblicas, do Gênesis até a ressurreição de Jesus. Quando pessoas daquela família e/ou comunidade aceitam a Jesus, é o início de uma igreja nova naquela comunidade. Os radicais continuam contando as narrativas bíblicas com a missão de discipular os novos convertidos e treinar líderes locais. A cada quatro meses de trabalho nas comunidades, as equipes voltam a Manaus para 15 dias de treinamento, quando também compartilharão com as igrejas locais os feitos do Senhor.  

O benefício à igreja local que envia um radical para fazer parte desse projeto é que ela receberá de volta, após dois anos, um crente treinado e experimentado em missões contextualizadas, evangelismo, discipulado e implantação de igrejas, além de ter, como igreja, praticado missões de maneira pessoal. É o caso da Primeira Igreja Batista do Jardim Zaíra, em Mauá (SP). Ela, que já comissionou três jovens para os projetos Radical África e Latino Americano, da JMM, envia agora mais um voluntário, dessa vez para o Radical Amazonas. Seu nome é Rafael Bonfim e, a partir do dia 6 de agosto, estará em Manaus para o período de treinamento e, posteriormente, a realização das atividades evangelísticas.

Rafael ficou sabendo do Radical Amazônia por meio seção de oração Sempre Orando, da revista do PAM Brasil. Diante do desafio exposto na publicação, viu-se abrir uma oportunidade para prosseguir com sua chamada aos povos indígenas. "Sempre soube que meu chamado era específico aos povos indígenas do Brasil. Só que, para missões indígenas, teria ainda que fazer quatro anos de Teologia e mais algum curso na área de lingüística para um povo específico. Levaria muito tempo. Então, coloquei-me em oração a Deus para que ele me usasse de alguma forma enquanto esse preparo mais "árduo" não chega. Nesse tempo, soube do projeto Radical Amazônia que irá proclamar a Deus junto aos povos ribeirinhos", comentou o voluntário.

Pastor Valdir Soares da Silva, gerente regional de Missões para o Norte e Centro Oeste do Brasil, afirma que há expectativas de que as igrejas se envolvam nesse projeto. "A nossa esperança é que os batistas brasileiros orem por este projeto de evangelização em suas igrejas, divulguem e desafiem jovens a fazerem parte desta estratégia de evangelização nas comunidades ribeirinhas na região da Amazônia, fazendo com que o evangelho da graça do Senhor Jesus proporcione vidas salvas e verdadeiramente felizes em Cristo Jesus".

O que é necessário para participar

 O voluntário deve ser membro de uma igreja batista, autorizado por sua igreja para se envolver com o trabalho missionário transcultural com comunidades ribeirinhas;

 Ter seus mantenedores de oração e levantar o sustento para fazer face às suas despesas durante todo o projeto.

Para mais informações, entre em contato através do telefone (21) 2107-1818 ou [email protected]

Postado por: Felipe Pinheiro

veja também