Projeto Vida por Vidas será homenageado pelo Ministério da Saúde

Projeto Vida por Vidas será homenageado pelo Ministério da Saúde

Atualizado: Quinta-feira, 9 Junho de 2011 as 11:32

No Dia Mundial do Doador de Sangue, o projeto Vida por Vidas - uma das maiores iniciativas sul-americanas de estímulo à doação de sangue e medula óssea - será homenageado pelo governo brasileiro. O ministro da Saúde do Brasil, Alexandre Padilha, convidou a coordenação do projeto, que é realizado por jovens adventistas em oito países sul-americanos, para receberem um reconhecimento oficial pelos serviços prestados no próximo dia 14 de junho, na Fundação Hemocentro de Brasília. Os números mostram que o incentivo às doações tem surtido efeito. Em 2010, por influência do projeto Vida por Vidas, 33.750 pessoas doaram sangue no Brasil. A ação ultrapassou as fronteiras e, em países como Argentina, Bolívia, Chile, Equador, Paraguai, Peru e Uruguai, o número de doadores influenciados pela ação foi de 22.420 no ano passado. O projeto é realizado desde 2006. O desafio, no entanto, é claro se forem analisados os dados gerais de doação.

O coordenador sul-americano do projeto Vida por Vidas, pastor Areli Barbosa, explica que o Vida por Vidas tem objetivos bem claros. Um deles é o de criar uma conscientização da necessidade de doação de sangue, medula óssea e plaquetas. O outro objetivo é manter uma rede de doadores em todo o país capaz de ser acionada rapidamente em caso de necessidade dos hemocentros e instituições hospitalares. “Este projeto, cuja liderança é dos jovens em todas as regiões e países, tem como motivação o amor que temos pela vida das pessoas com base no amor que entendemos que Jesus Cristo manifestou por nós ao morrer”, explica.

“O projeto Vida por Vidas é de extrema importância por contribuir no aumento do número de doadores voluntários de sangue saudáveis, com baixa transmissão de doenças. Além disso, o Ministério da Saúde apoia e reconhece ações de incentivo desenvolvidas por organizações, como é o caso do grupo da Igreja Adventista do Sétimo Dia, que evidencia a responsabilidade social do ato de doação voluntária de sangue”, afirma Guilherme Genovez, coordenador Geral de Sangue e Hemoderivados do Ministério da Saúde.

O projeto foi destaque em reportagem recentemente no Jornal Nacional. Veja aqui.  

veja também