Rotary Vitória Régia realiza campanha de doação de sangue e de medula óssea

Rotary Vitória Régia realiza campanha de doação de sangue e de medula óssea

Atualizado: Segunda-feira, 21 Fevereiro de 2011 as 1:02

Por ano, 3,5 milhões de bolsas de sangue são coletadas no Brasil. O ideal seria que esse número alcançasse 5,7 milhões, segundo dados do Ministério da Saúde.

Não é à toa que muitos hemocentros do estado de São Paulo, no geral, estão passando por apuros com estoques de sangue abaixo do esperado. Essas dificuldades são reflexo das férias e da proximidade do Carnaval, por exemplo.

Felizmente, isso não tem ocorrido em Bauru neste início de ano. "A consciência e a boa vontade da população tem ajudado a manter as doações em dia. Mas, isso também não significa que novos doadores possam ser desconsiderados. Se as doações caírem, aí sim teremos dificuldades em atender ao Hospital de Base, Maternidade Santa Isabel, Hospital Estadual e Prontos Socorros (Central e Bela Vista), além de algumas cidades da região", lembra a médica e diretora do Hemonúcleo da cidade, Telma de Freitas.

Atualmente, Bauru possui um estoque de 700 bolsas, cada uma com 500ml de sangue, totalizando 350 litros. Com uma bolsa, é possível salvar até três vidas, pois o sangue é fracionado (concentrado de hemácias, plasma, plaquetas e crio).

Freitas lembra que os homens estão aptos para doar a cada dois meses, não podendo ultrapassar quatro doações por ano. Já as mulheres podem fazer a doação de sangue a cada três meses, não sendo permitido doar mais do que três vezes num período de doze meses.

“Antes da utilização, o sangue passa por vários testes sorológicos, onde são investigadas doenças como sífilis, chagas, hepatite B e C e a presença dos vírus HIV e HTLV (Aids) e, somente após a liberação da sorologia é que o sangue poderá ser utilizado”, afirma.

Embora o estoque de Bauru apresente um bom resultado, o mesmo não ocorre com a captação de doadores voluntários de medula óssea. Pensando nessa problemática que o Rotary Club Bauru Vitória Régia convoca, nesta quarta-feira (23), toda população bauruense a doar sangue.

De acordo com a presidente do club, Haidée Maria Malheiro de Oliveira Haddad, a iniciativa tem o objetivo de aumentar as chances de encontrar um doador compatível com pacientes acometidos pela leucemia e que necessitam de transplante de medula óssea para alcançar a cura.

Isso porque, mesmo sendo um dos poucos transplantes em que o voluntário pode ser doador ainda vivo, a probabilidade de encontrar alguém compatível é de apenas um em cada 100 mil brasileiros.

“Queremos aumentar o número de bauruenses cadastrados no Redome, conscientizar a população e esclarecer algumas dúvidas, pois a medula óssea nada tem haver com a medula espinhal. O transplante é um procedimento simples, que não traz prejuízos à saúde do doador”, esclarece.

Cadastro para doação de medula

Embora muitas pessoas desconheçam, a coleta de medula também é essencial para salvar vidas.

"Em Bauru, não realizamos a coleta, apenas fazemos o cadastro dos candidatos à doação. Para isso, basta a pessoa comparece ao Hemonúcleo com RG. São coletados 10ml de sangue, que será enviado ao laboratório para o exame HLA (Antígeno Leucocitário Humano). Esse exame mapeia as características genéticas da pessoa. Depois, os dados são enviados ao Redome, Registro Nacional de Doador de Medula Óssea. Quando é encontrado um paciente compatível, o órgão entra em contato com o candidato para consultar se realmente ele deseja realizar a doação de medula óssea. Se a pessoa demonstrar interesse, ela terá que realizar uma bateria de exames, visando comprovar a compatibilidade e, posteriormente, é encaminhado para o transplante, que não traz riscos à saúde e não provoca nenhuma sequela", explica.

O transplante

Consiste em uma pequena intervenção cirúrgica nos ossos da bacia – realizada em aproximadamente 90 minutos –, onde é aspirada à medula óssea, sem causar comprometimento à saúde do doador.

Após se submeter a um tratamento que destrói a própria medula, o paciente recebe a medula óssea sadia, por meio de transfusão de sangue.

Em duas semanas, a medula transplantada já produzirá células novas. O procedimento é indicado para pacientes com leucemia, linfomas, anemias graves, imunodeficiências e outras 70 doenças relacionadas ao sistema sanguíneo e imunológico.

Para fazer a doação

É necessário estar com boa saúde e ter entre 18 e 65 anos. Além de pertencer à faixa etária indicada, é necessário ter peso acima de 50 quilos. É recomendável estar bem descansado, não jejuar, não ingerir bebidas alcoólicas nas 12 horas anteriores e evitar fumar pelo menos duas horas antes.

Quem teve hepatite depois dos 10 anos de idade, mulheres grávidas ou amamentando, pessoas que estão expostas a doenças transmitidas pelo sangue (como aids, sífilis e doença de Chagas) ou tiveram relacionamento sexual com parceiro desconhecido sem uso de preservativos também não podem doar.

Serviço:

Para se tornar um doador de sangue e de medula, a pessoa deverá comparecer ao Hemonúcleo de Bauru, com documento de Identidade (RG) nos horários de segunda a sexta-feira das 7h às 11h30 e das 14h às 16h, fazer o cadastro, passar pela triagem clinica (verificação de pressão, hematócrito, temperatura) e por uma entrevista.

Endereço: rua Monsenhor Claro, 8-88, Centro

Telefone: (14) 3234-4412

veja também