Sequestro da filha abala família cristã da Somália

Sequestro da filha abala família cristã da Somália

Atualizado: Segunda-feira, 11 Outubro de 2010 as 7:44

Uma família cristã da região central da Somália tem agonizado o sequestro de sua filha que ocorreu há oito meses, por militantes islâmicos empenhados em punir aqueles que deixassem o islã.

Ghelle Hassan Aded contou que sua filha de 15 anos, Anab Ghelle Hassan,  foi sequestrada por extremistas islâmicos do Al Shabaab ("Juventude") em 15 de fevereiro. Segundo fontes locais que confirmam o sequestro, a família fazia parte de um movimento crescente de cristãos clandestinos em Dhusa Mareb.

Os insurgentes do Al Shabaab lutam contra o Governo Federal de Transição e começaram a monitorar as atividades da família em 2008, disse Aded. Muitas vezes o questionaram sobre a ausência deles na mesquita local.

No dia do sequestro, familiares disseram ao pai que viram alguns homens do Al Shabaab sequestrando sua filha, pela manhã, no mercado local. Sabendo que eles procurariam a família, Aded fugiu imediatamente com sua esposa, a filha de 11 anos de idade e filho de 10 anos para Puntland, importante capital do nordeste somali.

Em um lugar não revelado em Puntland, a família ainda está devastada pelo sequestro. A esposa tem chorado muitas vezes a perda, mas a incentivam manter a esperança de ver Anab novamente.

Recentemente o grupo Al Shabaab iniciou uma campanha para aniquilar do país toda a população cristã. O al Shabaab estima  uma população entre 3.000 a 7.000 pessoas e buscam impor uma versão estrita da sharia (lei islâmica).

Tradução: Carla Priscilla Silva  

Uma família cristã da região central da Somália tem agonizado o sequestro de sua filha que ocorreu há oito meses, por militantes islâmicos empenhados em punir aqueles que deixassem o islã.

Ghelle Hassan Aded contou que sua filha de 15 anos, Anab Ghelle Hassan,  foi sequestrada por extremistas islâmicos do Al Shabaab ("Juventude") em 15 de fevereiro. Segundo fontes locais que confirmam o sequestro, a família fazia parte de um movimento crescente de cristãos clandestinos em Dhusa Mareb.

Os insurgentes do Al Shabaab lutam contra o Governo Federal de Transição e começaram a monitorar as atividades da família em 2008, disse Aded. Muitas vezes o questionaram sobre a ausência deles na mesquita local.

No dia do sequestro, familiares disseram ao pai que viram alguns homens do Al Shabaab sequestrando sua filha, pela manhã, no mercado local. Sabendo que eles procurariam a família, Aded fugiu imediatamente com sua esposa, a filha de 11 anos de idade e filho de 10 anos para Puntland, importante capital do nordeste somali.

Em um lugar não revelado em Puntland, a família ainda está devastada pelo sequestro. A esposa tem chorado muitas vezes a perda, mas a incentivam manter a esperança de ver Anab novamente.

Recentemente o grupo Al Shabaab iniciou uma campanha para aniquilar do país toda a população cristã. O al Shabaab estima  uma população entre 3.000 a 7.000 pessoas e buscam impor uma versão estrita da sharia (lei islâmica).

Tradução: Carla Priscilla Silva  

veja também