Sobre os refugiados sírios - por Mario Freitas

Sobre os refugiados sírios - por Mario Freitas

Atualizado: Sexta-feira, 6 Dezembro de 2013 as 7:37

O pastor Mario Freitas, presidente da MAIS (Missão em Apoio à Igreja Sofredora), escreveu um texto no qual explica o trabalho com os refugiados da Síria.
 
No texto, o pastor fala sobre cada etapa do projeto e pede ajuda a todos que querem colaborar.
 
Confira a publicação completa:
 
SíriaMuitos têm nos perguntado sobre como funciona o projeto de apoio a refugiados, e como poderiam nos ajudar. Esse projeto é novo para nós, e confessamos: é tudo muito assustador! Tivemos de alugar um centro espaçoso em Vila Velha, tudo nos últimos 2 meses, e desdobrar o projeto através de vários contatos.
Até agora, são mais de 2 milhões de sírios que deixaram seu país por conta da guerra. Famílias cristãs têm nos procurado, geralmente perseguidas no processo de escape. Os rebeldes têm identificado cristãos na fronteira, o que geralmente termina em assassinato.
As famílias vendem o que possuem e vêm ao Brasil por conta própria. Vale dizer que MAIS não traz refugiados, somente os acolhe. Essa chegada, e sua inserção no Brasil, se dá em 2 etapas: 
 
ETAPA 1: A MAIS os acolhe durante o processo documental inicial. A estimativa é que em 30-40 dias cada indivíduo já tenha 3 documentos importantes: o refúgio provisório, o CPF e a carteira de trabalho. Nossa equipe acompanha todos os protocolos junto à Polícia Federal e os órgãos competentes. Durante esse tempo, eles são cuidados com apoio médico, odontológico, pastoral, emocional. Necessidades: roupas, cestas básicas, alimentos em geral, itens de higiene, remédios. Quanto a voluntários, não podemos aumentar tanto a circulação na casa, pois trata-se de pessoas ainda assustadas, de quem estamos conquistando a confiança. Mas procure-nos por inbox e prometemos avaliar.
 
ETAPA 2: Com os documentos em mãos, as famílias serão efetivamente inseridas na comunidade brasileira, o que é desafiador. A maioria não ficará em Vila Velha: estamos em contato com igrejas e empresas de comunidades árabes, por facilidades de ajuste cultural e lingüístico, em cidades como Foz do Iguaçu, SP, Rio e Anápolis. Uma igreja brasileira poderia receber uma família de sírios; mesmo uma empresa poderia fazê-lo diretamente. Mas como somos responsáveis por tudo isso, especialmente perante o CONARE (órgão competente para cuidar das questões dos refugiados, instalado no Ministério da Justiça em Brasília) e o ITAMARATI, precisaremos supervisionar o processo.
 
NOSSAS NECESSIDADES IMEDIATAS: A quantidade de sírios vai aumentar. Até 20/12 teremos 30 pessoas entre nós, entre adultos e crianças. Essas já estão confirmadas. Mas o número pode triplicar até fevereiro de 2014, e jamais vamos negar ajuda. Mas nossa estrutura fica ainda devendo. Precisamos construir 2 banheiros amplos, reformar uma cozinha industrial e criar uma lavanderia, isso tudo com máxima urgência. Não esperávamos por isso. Estamos orçando que precisemos de aproximadamente R$ 30 mil para esta fase.
 
Pode nos ajudar?
MISSÃO EM APOIO À IGREJA SOFREDORA
CNPJ 12.492.298/0001-83
 
BANCO DO BRASIL
Agência 1240-8
Conta Corrente 110050-5
 
BANCO ITAÚ
Agência 0937
Conta Corrente 44077-4
 
Por favor, divulgue, contribua e ore. Queremos servir com honra cada um desses heróis da fé. Que Deus abençoe seu dia!!
 
NEle, 
 
Pr Mário Freitas
Presidente da MAIS
 

veja também