Sopa, Sabão e Salvação: A Teologia Salvacionista na Prática

Sopa, Sabão e Salvação: A Teologia Salvacionista na Prática

Atualizado: Quarta-feira, 5 Maio de 2010 as 5:26

No final do século XIX, a Igreja da Inglaterra encontrava-se elitizada e distante do povo simples, pobre e humilde. Nesta mesma época o Exército de Salvação iniciou a sua pregação voltada para esta classe social. Sua mensagem tornou-se revolucionária porque fazia os pobres acreditarem que Deus não os havia abandonado e esquecido, apesar do alcoolismo, das drogas, da prostituição e da triste realidade diária.

Era naquela situação concreta que William Booth e "seu" Exército sentiam-se chamados e desafiados a trabalhar, levando sopa, sabão e salvação. O envolvimento dos salvacionistas extrapolava, portanto, a preocupação com a salvação espiritual. Booth entendia que não bastava que uma prostituta se convertesse a Jesus Cristo, pois, geralmente ela estava ligada a um cafetão, que a escravizava. Por isso a ação social salvacionista devia ser mais profunda para que a libertação fosse completa.

Não se sabe, ao certo, quem criou o lema sopa, sabão e salvação, mas para os salvacionistas do final do século XIX e inicio do século XX, significava que os proscritos e excluídos da sociedade, vivendo em condições sub-humanas, careciam ser atendidos, primeiramente, em suas necessidades básicas, para que pudessem estar em condições de ouvir, entender e aceitar ou rejeitar a mensagem de salvação em Jesus Cristo.

No imaginário popular o lema "Sopa, Sabão e Salvação", caracter iza o Exército de Salvação como uma organização que ajuda os pobres e necessitados, distribuindo, nas noites frias das grandes cidades, sopa para aliviar o sofrimento daqueles que vivem nas ruas ou em condições sub-humanas.

Contribui para firmar esta idéia no imaginário popular o fato do Exército de Salvação manter ao redor do mundo diversos centros com a finalidade de acolher pessoas providenciando-lhes alimentos para o físico (Sopa), um espaço para higiene pessoal (Sabão) e lugar de apoio emocional e espiritual (Salvação).

Mas deve-se ter em mente que na Teologia Salvacionista o lema"Sopa, Sabão e Salvação" tem uma abrangência maior. Entende-se Sopa como representando o que é mais básico para o ser humano: o abrigo, a saúde, a água, o alimento, e o ar sem o qual nenhum ser pode sobreviver. Isso está de acordo com a teoria da hierarquia das necessidades humanas de Maslow, onde as necessidades fisiológicas são consideradas mais urgentes, pois estão ligadas à sobrevivência.

O pensamento teológico salvacionista parte do pressuposto que enquanto as pessoas não tiverem suas necessidades básicas supridas, elas encontram-se sem condições de poder entender e responder positivamente aos apelos da mensagem de Jesus Cristo. Esta é uma das razões pelas quais a luta por uma vida digna para todos não é contrária ao Evangelho de Jesus Cristo.

O significado de Sabão está relacionado com a auto-imagem, com a vestimenta e com a segurança, seja ela econômica ou social. Compreende-se que o apoio contra a imprevisibilidade do futuro diminui as tensões e auxilia o ser humano na imagem que tem de si mesmo, dos outros e na sua cosmovisão. Quanto melhor for sua auto-imagem e segurança mais otimista poderá ser sua visão de mundo e, mais motivado estará para lutar por dias melhores para si e seus semelhantes. Como disse alguém, pessoas portadoras de uma auto-imagem negativa não se sentem bem, não cooperam e criticam duramente as pessoas ou ambientes que a tratam mal afetivamente, tornando-se amargas e desmotivadas com tudo que as cercam.

Quanto à Salvação, a TS (Teologia Salvacionista) a compreende como tendo três dimensões inseparáveis: A educacional, a social e a espiritual.

Na dimensão educacional entende ser necessário travar combate com a ignorância, lutando contra o analfabetismo, pois entende que a educação contribui para quebrar o "ciclo da miséria" vivido pelos excluídos os quais não poucas vezes foram empurrados para fora do sistema educacional formal.

O combate à inércia, à miséria, ao alcoolismo, às drogas, à falta de perspectivas e esperança são trabalhadas na dimensão social da Salvação. A TS entende que é preciso resgatar e reintegrar os excluídos da sociedade, criando oportunidades para que os mesmos possam resgatar a sua cidadania e estar em condições de usufruir o mínimo necessário para viverem de maneira digna.

A TS compreende que, somente depois de ter as suas dimensões educacional e social atendidas, com suas necessidades básicas supridas e a auto-estima melhorada, é que o ser humano está em condições de ouvir e entender do amor de Deus podendo aceitar ou rejeitar a salvação espiritual que lhe é oferecida em Jesus Cristo.

A operacionalização do lema "Sopa, Sabão e Salvação" dá-se por meio do combate à fome, à miséria, à subnutrição, às doenças, às carências, ao baixo nível de vida, ao analfabetismo, à repetência e evasão escolar, à mortalidade infantil e à inércia através dos Centros Comunitários do Exército de Salvação, onde são oferecidos reforço escolar e alimentar, cursos profissionalizantes e de alfabetização de adultos e espaços para reuniões comunitárias. Oferece-se também orientação sobre direitos básicos do trabalhador e do cidadão. Nas igrejas salvacionistas busca-se criar ambiente de estima, afeto, amor, respeito mútuo, consideração, apoio e de relacionamentos afetivos gratificantes, compreendendo que tudo isso contribui para que o ser humano seja visto e tratado na sua inteireza. -

Maruilson Souza - Major

Chefe Divisional do Nordeste

Maruilson Souza, BA, ThB, ThM, MBA, PhD candidate, é autor dos livros "Teologia Salvacionista em Ação: Análise do Caso Torre" e "Parceiros na Missão: Uma Introdução a Missiologia Salvacionista". Atualmente serve como Supervisor Regional do Exército de Salvação no Nordeste e é avô do Rafael e do Natan.

veja também